segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Homologações 2009

No ano de 2009 meu trabalho de co-organizador de Randonnée termina com este post. No dia de hoje, foram postadas no site (www.audaxcriciuma.com.br) as homologações do "200 do Arroz" e do "300 do Carvão", bem como os resultados deste último.
Para o ano que vem a organização promete muito empenho: com uma carta de rota mais completa; trajeto mais rural; adicionar um PC secreto no final do percurso; adicionar um brinde na chegada. Manteremos: parcerias alimentícias nos PCs, obrigando todos a pararem; camiseta diferenciada do evento; trajetos desafiadores, que efetivamente testem a capacidade física e psicológica dos inscritos, banindo audax de circuito (coisa de federação).
Por fim, quanto ao apoio das autoridades desautorizadoras, prometemos que será uma novela mexicana, prevalecendo a desautorização necessária para que as provas transcorram normalmente.
Abraço a todos! Boas festas! Até 2010!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Calendário 2010

Abaixo segue o calendário 2010 de eventos Randonnée(BRM) no Brasil. Para quem não sabe, há menos de dois meses o Luiz Maganini Faccin, cacique do Santa Ciclismo, clube que promove eventos Audax e Randonnée em Santa Cruz do Sul/RS, aceitou o encargo de correspondente ACP no Brasil. Desde então uma enorme pressão foi colocada nos organizadores de Audax/Randonnée para que definissem suas provas no ano de 2010 e fornecessem todos os dados necessários as homologações dos eventos realizados em 2009. O resultado é que todas as provas de 2009 já estão homologadas (em breve no site www.audaxcriciuma.com.br a homologação do 300 do Carvão estará disponível) , bem como o calendário de 2010 está pronto.
Portanto, temos hoje um representante do ACP no Brasil que é novato na função e querendo mostrar serviço para fazer a diferença; motivado, pois realmente gosta do que faz (as vezes chega a ser insano); e entende do assunto, pois randoneiro fominha, audaxiopata, fléche instigador, organizador espartano e agora, correspondente obcecado. Obrigado pela faxina Faccin! Como este blog dedica-se primordialmente a divulgação das provas do Audax Criciúma, as datas das mesmas aparecem em destaque no calendário apresentado.

Calendário Brevets Randonneurs Mundiais Brasil 2010


Janeiro 2010

17/01/2010 - 200 km - Audax Rio - audaxrio.blogspot.com

17/01/2010 - 200 km - Audax Paraná - www.audaxparana.com.br

Fevereiro 2010

07/02/2010 - 200 km - Audax Paraná - www.audaxparana.com.br

Março 2010

06/03/2010 - 200km - Audax Brasil - www.audaxbrasil.com.br

07/03/2010 - 200km - Sociedade Audax de Ciclismo - www.sociedade.audax.org

13/03/2010 - 300km - Audax Paraná - www.audaxparana.com.br

14/03/2010 - 200km - Audax Ijui - ijuibikers.blogspot.com

14/03/2010 - 200km - Clube Audax Porto Alegre - audaxpoa.ciclosinos.com.br

14/03/2010 - 200km - Audax Rio - audaxrio.blogspot.com

21/03/2010 - 200km - Audax Floripa - www.audaxfloripa.com.br

28/03/2010 - 200km - Santa Maria Ciclismo - audaxsantamaria.blogspot.com

Abril de 2010

02/04/2010 - Fleche - Santa Ciclismo - www.audaxsantacruz.blogspot.com

02/04/2010 - Fleche - Sociedade Audax de Ciclismo - www.sociedade.audax.org

02/04/2010 - Fleche - Randoneiro Cristal - www.randoneirocristal.blogspot.com

10/04/2010 - 400km - Audax Paraná - www.audaxparana.com.br

11/04/2010 - 200km - Audax Caxias - www.audaxcaxias.blogspot.com

17/04/2010 - 300km - Clube Audax Porto Alegre - audaxpoa.ciclosinos.com.br

18/04/2010 - 200km - Audax Brasília - www.audaxbrasilia.com.br

24/04/2010 - 200km - Audax Brasil - www.audaxbrasil.com.br

25/04/2010 - 200km - Audax Lajeado - audaxlajeado.blogspot.com

Maio de 2010

08/05/2010 - 600km - Audax Paraná - www.audaxparana.com.br

15/05/2010 - 400km - Clube Audax Porto Alegre - audaxpoa.ciclosinos.com.br

16/05/2010 - 200km - Audax Criciúma - audaxdocarvao.blogspot.com

22/05/2010 - 300km - Audax Caxias - www.audaxcaxias.blogspot.com

30/05/2010 - 300km - Audax Brasília - www.audaxbrasilia.com.br

Junho de 2010

12/06/2010 - 400km - Randoneiro Cristal - www.randoneirocristal.blogspot.com

12/06/2010 - 300km - Audax Rio - audaxrio.blogspot.com

12/06/2010 - 300km - Sociedade Audax de Ciclismo - www.sociedade.audax.org

26/06/2010 - 300km - Santa Ciclismo - www.santaciclismo.com.br

26/06/2010 - 300km - Audax Brasil - www.audaxbrasil.com.br

Julho de 2010

10/07/2010 - 400km - Sociedade Audax de Ciclismo - www.sociedade.audax.org

Agosto 2010

14/08/2010 - 600km - Randoneiro Cristal - www.randoneirocristal.blogspot.com

20/08/2010 - 600km - Sociedade Audax de Ciclismo - www.sociedade.audax.org

21/08/2010 - 400km - Audax Brasil - www.audaxbrasil.com.br

Setembro 2010

17/09/2010 - 1000km - Sociedade Audax de Ciclismo - www.sociedade.audax.org

24/09/2010 - 300km - Audax Criciúma - audaxdocarvao.blogspot.com

Outubro 2010

Sem brevets

Novembro de 2010

20/11/2010 - 600km - Audax Brasil - www.audaxbrasil.com.br

Brevets Válidos para a série 2011
Estes brevets são classificatórios para o Paris Brest Paris 2011

Novembro 2010

01/11/2010 - 200km - Sociedade Audax de Ciclismo - www.sociedade.audax.org

07/11/2010 - 200km - Randoneiro Cristal - www.randoneirocristal.blogspot.com

07/11/2010 - 200km - Audax Paraná - www.audaxparana.com.br

14/11/2010 - 200km - Audax Rio - audaxrio.blogspot.com

20/11/2010 - 200km - Santa Ciclismo - www.santaciclismo.com.br

Dezembro 2010

04/12/2010 - 300km - Randoneiro Cristal - www.randoneirocristal.blogspot.com

04/12/2010 - 200km - Audax Brasil - www.audaxbrasil.com.br

05/12/2010 - 200km - Audax Paraná - www.audaxparana.com.br

05/12/2010 - 300km - Santa Maria Ciclismo - audaxsantamaria.blogspot.com

Mais informações sobre Brevets Randonneurs Mundiais, organizados pelo Clube Audax Paris, visite o site: www.randonneursbrasil.org

domingo, 8 de novembro de 2009

Rescaldo Final - 300 do Carvão

Toda a organização da prova estava com muita vontade de acertar. Mesmo assim algumas coisas deixaram a desejar. Vamos a elas:

1ª - Carta de Rota: faltou informação na carta de rota. Evidente. Como por exemplo a quilometragem e ponto de referência nas mudanças de rota (aonde haviam as setinhas). Em outras palavras, faltou que a organização se colocasse no lugar dos "estrangeiros" quando da confecção da carta de rota.

2ª - PC2 - Posto Fratelli, situado na zona metropolitana de Tubarão/SC. É verdade, estava todo mundo "bebaço" naquele PC. Sem contar os bêbados na estrada a partir da rotatória de Termas de Gravatal/SC. Para agravar a situação, provalmente o trecho de asfalto em piores condições da prova eram os quase vinte quilômetros entre o Trevo de Gravatal e o PC2. Bom, para o ano que vem, o que a organização pode garantir é que este trecho entre o Trevo de Gravatal e Tubarão não entrará no percurso.

3ª - Na parte final da prova, ficou evidente que alguns ciclistas não respeitaram o trajeto estipulado pela organização. Só não foi possível identificá-los. Para o próximo ano um PC secreto será criado nos quilômetros finais, permitindo a identificação e consequente desclassificação dos "sem honra".

- Outras solicitações foram efetuadas. Sem dúvida, no final da prova, uma cerveja gelada para cada brevetado e engrandecendo o "caminhão" de prêmios dos concluintes (medalha+certificado) é uma ótima idéia (valeu Kbça!). Para as mulheres uma "pretinha", que tal?! Por fim, solicitaram que o trajeto fosse demarcado. Essa idéia, particularmente não me agrada. Orientação faz parte do randonnée. Ainda assim, a organização tentará pintar alguns postes, "mastigando" o caminho para os inseguros.

- A questão da Polícia Rodoviária Estadual em Santa Catarina é um caso a parte. Neste ano, começamos as negociações com os órgãos públicos a 62 dias do 300. Após várias taxas pagas e algumas viagens para a capital do Estado, veio o bem redigido "Não! Porque não!". No momento, o que se denota no Comando do Batalhão da Polícia Rodoviária do Estado de Santa Catarina: "Não sabemos o que é audax/randonnée e temos raiva de quem sabe!". Enquanto isso as provas vão acontecendo "goela abaixo" das autoridades. No maior estilo Gandhi. Revolução Silenciosa. Portanto, tudo indica que em 2010 esta será uma pergunta irrelevante: "A polícia liberou?!"

Abraço a todos!!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

O 300 foi quase uma valsa: três pra cá; três pra lá.

Quero fechar a seção de fotos do brevet com imagens da turma das 12 horas, que abriu os trabalhos na chegada da prova; bem como da turma que fechou os trabalhos na linha de chegada. A primeira imagem mostra o Gilmar Mohr de Presidente Getúlio/SC e o Cláudio "Tokito" Baesso daqui de Urussanga/SC, felizes ao carimbar o passaporte em 12h26m de prova. O Gilmar conheci no briefing, depois o cara andou tão forte que praticamente não o vi. No dizer do urussanguense Tokito: "- O Gilmar é um velhão muito legal e gente fina!". Já o Tokito dispensa apresentações, lendário ciclista urussanguense, tem por hábito treinar escondido, quando não treina durante a prova mesmo. Corre o boato de que só fez três treinos para o 300 do Carvão. Jogada de marketing, claro.





A segunda imagem traz o urussanguense Idalino "Popeye" Bonotto. Sempre rápido e competitivo, mas que dessa vez ganhou uma "banana" da dupla do menor tempo (na foto já a levava na mão). Mesmo assim conseguiu chegar na marca das 12h, acrescidas de 56m.






Quase sete horas depois... chegam os três guerreiros do maior tempo (Pedro Burba de Curitiba/PR; Henrique Wendhausen de Bal. Camboriu/SC e Greiciely Lopes de Curitiba/PR) com 19h22m de prova. Nas imagens suas feições não me deixam mentir. A prova foi dura. Particularmente adoro sofrer, portanto, debutar na organização de um brevet "fácil" seria frustrante. Fiquei muito satisfeito em saber que maioria deu "graças a Deus" quando concluiu. Tudo o que é difícil fica na memória e rende histórias/estórias.



Abraço a todos!!

domingo, 20 de setembro de 2009

Histórias do pelotão

Não é de hoje que provas de longa distância atraem e produzem figuras marcantes. No carvão não foi diferente. Já falamos aqui do Zé "sem" Bigode, do Linguarudinho, dos gaúchos Super Randonneurs 2009, do "Fábio Pocotó", do Raul e atualizamos a lista:


- o cara veio do local mais longínquo destas bandas, Maringá/PR. Soube que comeu uma massa no restaurante indicado pela prova e era "ao funghi". Nascia aí o "Alucinado do Carvão". Com cogumelo na parada o randonneur chegou a Orleans desorientado. A organização o encontrou no posto tigre de Orleans, às 3h30m da madrugada. Não sabia se pegava carona, se seguia em frente, se ficava onde estava, se voltava ao local de largada... nos despedimos do mesmo informando que apenas 12KM o separavam do PC1/3, em São Ludgero, sendo que metade desses quilômetros era de descida. Conclusão: não apareceu nos PCs, não atendia ao telefone e foi encontrado novamente no local de largada pelo "Raulzito", perto das 17h de domingo;

- o Cantinho da Massa é pródigo em sabores de pizzas. Então, soube que um cara de Florianópolis pediu o sabor "sal de frutas". Após a iguaria, nascia aí o "Vomitão do Carvão". A figura vomitou e se superou até a "rampa lança-míssil" (aquela subidinha bucólica na saída de Lauro Müller...). Segundo o próprio, bem no meio da rampa houve uma "câimbra em cadeia", travando totalmente o sistema. Conclusão: SAMU nele!! "Brevetou" no carro da organização.





- tem o Maguido de Içara, com um visual retrô e sempre de bom espírito, quando a coisa ficava dura, dá-lhe rapadura que cura;





- tem também o "El Gringone" Jorge Rovetto. Responável pela internacionalização desse brevet, figura robusta e marcante aos 62 anos de idade, logo ganhou o apelido de "Jacque Cousteau". Brevetou com um tempo excepcional e quando conversei com o mesmo no PC5, estava com um ótimo semblante.











- tem ainda a turma de Curitiba, o Sérgio Lopes, aspirante a frentista do Posto Fratelli (PC2); o Pedro Burba que no finalzinho, só pra mostrar que tava tudo sob controle, foi até o BR101 comer um risólis de presunto e queijo no Bar do Jóia (brincadeirinha...); e a guerreira Greiciely Lopes que quando a vi no PC4, o temido, totalmente destruída, a última a carimbar seu passaporte no local, faltando meros 15 minutos para o fechamento do PC, e sabendo que "apenas" 99Km a separavam da conquista, chorou um pouco no ombro no namorado, pediu uma faca emprestada pro "Mariot", proprietário da lancheria, mordeu-a com força e só soltou na linha de chegada. Furiosa.





- por fim, há "Os Rabetas", dois florianopolitanos muito descontraídos e de bom espírito. Aqui vale um parênteses: suas mulheres os acompanharam ao longo do trecho que percorreram. Os vi parando em alguns PCs "extras" pelo caminho e fiz "vista grossa". Claro, caso não estivessem no final do pelotão não admitiria esse tipo de coisa. Não gosto de ser "provalecido", estava estampado no rosto deles o quanto a empreitada estava sendo dura. Conselho aos amigos: numa primeira análise, um carro acompanhando acalenta o coração e transmite segurança. Mas é uma via de mão dupla, pois a regra de ouro (ver post sobre o assunto) do randonnée está indo para o espaço, em outras palavras, sem ritmo não há brevet. No final das contas, quanto mais tempo parado, pior. Ainda, partindo do pressuposto de que nossos carros são uma extensão de nossos lares... desistir e ir pra casa estará sempre "à mão".


- para pensar: "Randonnée não cansa; exaure. Só cansa quem não tem ritmo."

Abraço a todos!!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Figuraça do Carvão: Luiz "Raul" Pereira

Talvez aqui esteja a maior "figuraça" desse brevet. O cara veio a caráter para a prova, pilotando uma Peugeot maravilhosa, paralamas requintados, alforges laterais, camiseta de algum clube de remo de Florianópolis, com tecido "dry" da década de 70, "suplex" branco sexy, e o shape do "Raulzito". De um humor inconfundível e inabalável, não importava o momento em que o atacássemos durante a prova, a resposta era sempre a mesma e de igual entonação: "-Uhhuuulllllll!!!". Ao final, deixou um lindo depoimento no site "Caminhos do Sertão", que deliberadamente segue:




"Levando a alma pra passear: 300 km com morrebas no Audax Carvão



O relato que se segue apresenta o resultado perceptível do que foi pedalar os 300 km que justificaram o treino teste realizado na semana passada, que nesse momento parece tão distante quanto agora são as dores sofridas durante as duas experiências. A difícil tarefa do corpo de levar a alma pra passear, proporciona-nos sensações prazerosas, que só são sentidas no momento vivido, virando boas lembranças imediatamente ao término da empreitada, e uma sedução para seguir em busca do outro limite de desafio, que são os 400 km.
Na condição de cicloerrante, com a conhecida aptidão física e tática, montado num equipamento bastante rudimentar, não me propunha a percorrer o trecho acompanhando meu amigo e estimulador Della, que chegou entre os quatro primeiros, mas dentro do limite de tempo que é destinado aos que querem enfrentar o desafio, na modalidade e faixa etária do cicloturismo. Enquanto o ilustre completou a prova em doze horas, eu o fiz em dezoito, no mesmo padrão do Audax 200. Daquela vez, pelas condições do terreno, a minha média foi um pouco maior.
Para quem ainda não conhece, o Audax tem como proposta o desafio de vencer as distâncias num tempo determinado, sem a exigência do rigor da prova. No caso do Audax 300 do Carvão, a organização elevou ao máximo o limite. Dos trezentos quilômetros, duzentos eram de estradas com lombas e serrotas, que exigiram um esforço adicional às canelas e juntas, uma paciência a mais no momento da experiência. Isso só aumentou o prazer de curtir.
Saímos de Criciuma às 23 horas, percorrendo os primeiros quilômetros com um carro batedor, num bloco bem concentrado, numa velocidade bem excitante. Duas motos policiais acompanhavam o cortejo, interrompendo o trânsito dos automóveis à nossa passagem. Depois disso, quando saímos do ambiente urbano, cada um seguiu no seu ritmo, vencendo as montanhotas e subidinhas, até o primeiro Posto de Controle, na cidade de São Ludgero, a uma distância de uns oitenta quilômetro. Neste trecho, vi algumas pessoas ficando para trás, por pneus furado e problemas mecânicos. Lentamente eu ia encostando em alguns pequenos grupos, que iam ficando para trás, por abandonarem o pelotão de frente, que era composto por atletas e jovens, como o meu amigo Della, que só não chegou antes dos primeiros quatro, porque parou algumas vezes para repousar sentado no Celite, graças ao jantar no rodízio de pizza, onde Ele, o Evando e o Marcelo, companheiros de jornada, deliciaram-se nos vários sabores da gloriosa massa. Os outros dois, tiveram a brincadeira interrompida, pela mesma perturbação gástrica.
A chegada em Tubarão, às cinco e meia da matina, coroava a etapa noturna, trazendo a luz do Sol, para melhorar a visibilidade da paisagem e da estrada. Voltamos à cidade de São Ludgero, onde fomos recebidos com uma deliciosa canja de galinha caipira, que além da carne tem as vísceras (coração, fígado) e óvulos, retirados dos ovários de galinhas poedeiras. As bolotas parecem batatinha, e a gente enche o prato, só percebendo a diferença ao provar. É uma turbina proteica, excelente para proporcionar energia para vencer a etapa mais extenuante.
Subimos a Serra do Rio do Rastro, a uma altitude de 760 metros, num trecho de cinquenta quilômetros praticamente só de subida. Esta brincadeira começou no início da manhã, durando até meio dia, quando cheguei ao topo do sacrifício. Quando me disseram que faltava apenas uns seis quilômetros, minha alma já tinha saído do corpo, e a sombra zombava da minha cara. Parei umas cinco vezes, pra me entupir de gel sei lá pra quê, barrinha de isotônico, banana seca, castanha de caju, uvas passas… até água eu tomei, neste momento de quase desistir. Doeu até a última prega, quando olhava para o horizonte, e fui ultrapassado por uma das três meninas participantes, e ouvi o ‘vamo tio….’. Na última tentação sentida pelo corpo, de pensar em não chegar, fui alcançado pelo Pedrão, um curitibano de 71 anos, que xingava a mãe de todos os organizadores, e algumas ancestrais mais pregressas. Ao final, tudo se transformou em alegria, animando o trecho final, que não poderia ser pior do que isso.
Os últimos cem quilômetros são sempre marcados pela perda do ânimo físico, mas o aumento do moral. As dores vão aparecendo, a carne vai ardendo, mas a alegria de ver o trecho diminuindo serve como um elixir, que ajuda a lubrificar as juntas. Ao mesmo tempo, o peso do alforge vai diminuindo, pois o estoque de comida vira suor, que vai ficando pelo caminho. Foi graças ao poder de transformação da canja com ovo cozido em metano, que a potência do pedalar cresceu. Cada pum exalado equivalia a uma pedalada. E não foram poucos, durante toda a manhã. O trecho da última tarde foi um pouco mais plano, mas com muitas lombas bastante extensas até a sua totalidade. Para finalizar a brincadeira, o trânsito urbano, a falta de orientação para chegar ao objetivo, e a companhia de apenas dois novos companheiros de empreitada, com quem me juntei nos últimos quilômetros, fizeram o complemento das emoções, que só a endorfina pode proporcionar.
Daqui de Florianópolis fomos juntos seis ciclodementes. Além do Della e do Evandro, o Jorge, nosso ilustre representante internacional, que sofreu pela derrota da sua seleção pela turma do Dunga, mas chegou bem antes que eu, e o Ronaldo, com quem pedalei praticamente todo trecho, junto o Gilmar, um ilustre camarada de Balneário Camboriu. Em grupo, conseguimos nos manter mais fortes, seja para melhorar a visibilidade, ou para compartilhar conversas e animações.
Apesar do rigor da prova, só tenho a registrar cumprimentos à organização, pela disponibilidade e animação da equipe, o que sempre contribui para o sucesso da empreitada. Vou me preparar para os 400 km, pra ver onde é meu limite nessa brincadeira. Andar de bicicleta é um prazer que não tem dimensão clara. Tanto nos anima nos passeios de um simples domingo, junto com a esposa, quanto essas aventuras, que nos tiram do sério, propiciando a alegria de conhecer novas pessoas, lugares e experiências. E isso não tem preço.





Huli Huli





Luiz Pereira"


Ver o "Raul", de 51 anos, levar aquela Peugeot que deveria pesar mais de 20Kg, até o PC4, no coração da Serra do Rio do Rastro, não teve preço. Parabéns pelo brevet Raul!! Abraço a todos!!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Gaúchos do Carvão

Vieram apenas dois gaúchos para o brevet. No entanto, de primeira linha. Ambos são Super Randonneurs 2009 (200/300/400 e 600 - possuem todos os brevets desse ano) e ambos tentaram a sorte no Farrapos 1000KM de julho passado. Estou falando do Edson Berreta e do Rafael Castro. Seus coletes refletivos possuíam o selo de aprovação e auteticidade da "Faccin Inspeções" (ver foto) e pedalaram todo o brevet juntos, mas só o Berreta tombou. Logo no início do trecho, ainda quando neutralizado, o Rafael teve um rasgo lateral em seu pneu (por sinal, ainda estou com o pneu rasgado), obtendo um "mãozinha" da organização em razão do trecho ser neutralizado. Ao final da prova perguntou se poderia mandar um depoimento, recebendo um sonoro "-Mas é claro tchÊ!". Segue:

"Sábado, 05 de setembro de 2009, 23 horas, o Brasil acabara de fazer o terceiro gol na Argentina e nossas bikes começavam a se movimentar pelas ruas de Criciúma. Queria assitir o jogo, jogaço... Mas, pedalar 300km por caminhos longe do Rio Grande me atraía mais. Havia a expectativa de belas paisagens e a Serra do Rio do Rastro era convidativa para embelezar essa nova aventura "randonneira". Menos de 5km rodando em grupo com os destemidos e aventureiros ciclistas e uma voz grita: olha o vidro! Psssssssss... Meu pneu furou! Furou não, rasgou. Obra de bêbado, garrafa no asfalto, pneu rasgado na banda lateral. Troquei o mais rápido que pude, com o apoio do meu companheiro de pedal e viagem Edson Berreta e uma "mãozinha" na roda do carro de apoio que iluminava nosso trabalho. Seguimos forte atrás do "pelotão", 30km/h! Estrada escura e irregular ... só alcançamos um ciclista lá pelo km 30... Numa subida! E como tinha subida! Já cansado de tentar buscar o grande grupo de ciclistas, diminuimos nosso ritmo e voltamos a normalidade. 25km/h e ritmo leve nas subidas. E como tinha subida! PC 1 chegou, alívio. Rápida regeneração, cafezinho, banana, power gel... E novamente na estrada... Pior, mais subidas. Km 89, outro bêbado querendo mostrar sua masculinidade para outros bêbados, arrancou com violência seu carro tunado a contra-mão na saída de um posto e me fez frear assustado, meu companheiro engavetou na traseira da bike e foi ao chão. Um motorista irresponsável tentando provar sua precária masculinidade quase nos tirou da prova. Bem, até o km 120, todos nós ciclistas passamos por "maus bocados" com pessoinhas pouco inteligentes e muito assustadas representando uma alegria que não convence nem a eles mesmos... Deve ser por isso que nunca estão satisfeitos! Apesar das dificuldades, pedalar estava gostoso. A estrada até Tubarão não era das melhores, mas o desafio ainda não tinha começado, lógico. Retornamos do PC 2 as 6 horas e começamos a curtir a paisagem... A estrada estava calma e o pedal começou a render. PC 3 chegou muito rápido. Parada muito importante. Sopinha supimpa, coca-cola, barra de proteína, power gel, banana e concentração... O randonnée iria começar de verdade, meninos e homens se separaram. Km 160, entramos a direita e começamos a subir, digo, continuamos a subir. E como tinha subida! E a serra ainda não chegara... E dá-lhe subida, descida, subida, subida, subida... Putz! E a serra?! Não dava pra ver... Neblina e subida não combinam com paisagem bonita. A estrada era boa, os carros respeitavam, as motos roncavam e a bike pesava... Subida, subida... Apareceu uma enorme, nem tanto, mas inclinada... muito inclinada. Minha visão estava escurecendo, falei pro Edson: "tô quebrando". Nem babava, pois não tinha saliva. Ultrapassamos o que chamamos de "rampa lança-míssil" e entramos na Serra. O que?! Só agora chegamos na Serra?! Subida, subida, subida... A paisagem começa a ficar ainda mais bonita. Olhei para o lado... Vertigem. Melhor olhar para o asfalto. E subimos, subimos, surgiu o primeiro mirante. Parada pra recarregar as baterias. Visual deslumbrante. Outros valentes ciclistas chegaram, outros já estavam por ali. E novamente subimos e subimos... Outra parada... Já estava quase no meu limite. Conversamos com um simpático ciclista argentino. Simpático argentino?! Pois é, não dá pra acreditar. Eles existem! Brincadeiras a parte, somos todos iguais é claro. A única diferença é que somos pentacampeões!! Subimos mais um pouquinho e avistamos o PC4. Já estava no meu limite. Minhas pernas quase já não respondiam... Pedalando numa speed com relação 39/52 e pinhas 12 a 26 me desgastei demais. Últimos metros, últimos 400 metros... Quase parei. "Vamo guerreiro... Falta pouco", diz o Edson pedalando numa speed com coroa tripla e usando relação 30/26... Speed randonneira tem que ter relação leve: 34/50 e pinha 12/27, tô convencido disso. Chegamos finalmente no PC da Serra do Rio do Rastro, 201 km percorridos. Minhas pernas bambas, fracas e meu corpo todo contraído. Alívio, felicidade e satisfação. Tinha certeza que estava participando do meu mais difícil brevet de 300km. Talvez até mais difícil que o brevet 400km de Santa Cruz do Sul (SCS - Canguçu - SCS 2009) em que concluí em 21 horas. O PC da Serra foi uma curtição. Comprei lembrancinhas, curti o povo, a paisagem e retornamos aliviados e seguros. Concluímos bem o brevet... Depois do km 250 tudo ficou muito tranquilo, escapamos de um cachorro rottweiler mal intencionado que esperava pelos ciclistas na porteira de casa, furei novamente o pneu no "anel viário" já no km 282 e pedalamos nossos últimos quilômetros relembrando nossa façanha... Subidas intermináveis, noite, carros, bêbados, queda, estrada ruim, subidas, subidas, serra... "rampa lança-míssel", cachorro, pneu furado, pneu rasgado... Chegada, alegria e felicidade. Meus agradecimentos a todos os voluntários e a rapaziada amiga do Maico. Gente boa, bacana, simples e amiga... Ao Maico, companheiro de randonnée aqui no Rio Grande, Super Randonnée 2009 e Farrapo esfarrapado como nós, deixo um grande e sincero obrigado e parabéns pelo ótimo trabalho no Audax do Carvão. Não é fácil organizar uma prova como essa, vocês merecem nossa admiração.
A todos os randonneurs que concluíram o brevet meus parabéns, pois não foi fácil, acho até que é o mais difícil do Brasil.
Abraços ciclísticos,
Rafael Pereira de Castro
Super Randonneur 2009"
Randonnée é dor, sofrimento, superação, disciplina, persistência, pragmatismo, competência, obstinação e, sobretudo, amizade. Costumo dizer que o "sofrimento é democrático". Na longa distância, todo mundo apanha, não importa o condicionamento ou o porte físico. Conheci o Berreta no 300KM da Serra, de Caxias do Sul/RS em maio deste ano. Depois, o Rafael no 400KM de Santa Cruz do Sul/RS. Identificação imediata. Pudera, somos todos da mesma tribo, somos todos randonneurs.
Abraço a todos!

Fortes amizades no Randonnée do Carvão

Vamos falar dos dois “pescadores” de Balneário Camboriú. O José Roberto do Carmo e o Henrique Wendhausen da Silva. Logo no início da prova, já estavam ocupando, despreocupadamente, a rabeta do pelotão. No briefing o Wendhausen já disse para o que tinha vindo: “Vou fechar a prova! A última colocação já tem dono!”. Quando o Zé Roberto sobrava, o Wendhausen dava uma voltadinha só pra seguir na rabeta com ele. E assim foi, até a Igreja de São Gervásio e Protásio, no Rio Maior, em Urussanga (foto), quando aconteceu a primeira desistência do 300 do Carvão. Ao final daquele ciclo de subidas o Zé Roberto dava adeus ao brevet prometendo vingança/revanche no ano que vem. Gostei do espírito. O Zé Roberto, popular Zé Bigode (agora sem, claro), dispensa apresentações, na foto de abertura deste blog é ele com sua “bike tunada”. Já, quanto ao Wendhausen, que no transcurso do brevet ganhou o apelido de “Linguarudinho”, posto duas belas fotos de sua performance por nossas estradas, além de um depoimento enviado a organização:


"Bom dia!

Grandes do AUDAX DO CARVÃO!!!!!!

É com muito prazer e satisfação que escrevo estas palavras em agradecimento a atenção dispensada por Vocês aos Audaxiosos do 300 km, que pelo meu cronômetro foram 313 km. Lá no meio do caminho depois de subir meio mundo os pensamentos já estão meio desgastados imaginando o que se tem pela frente. Mas toda força retirada do nosso corpo pelas cabeças já meio debilitadas vão se dobrando ao passarem pelos PCs. O ser humano é muito aguerrido, adora uma disputa. Eu, pessoalmente, participo dos Audax por que não é uma competição, e está ligado diretamente ao cicloturismo, a um passeio com belas paisagens como foi este que Vocês organizaram brilhantemente. Muitos devem se perguntar lá no meio do caminho o que estou fazendo aqui, subindo, descendo, subindo, descendo e assim vai. Mas o verdadeiro espírito do Audax está nas pessoas, aquelas que dão moral, princípio e organização ao evento, a princípio não os que participam por que estes vão pelo prazer e lazer. A organização não é só botar as coisas nos devidos lugares é se fazer presente como ser humano e isto Vocês o fizeram com muito louvor.
Pedalei 300 km por uma passagem deslumbrante que espero repetir o ano que vem, as dificuldades que encontramos foram totalmente superadas pela total atenção dispensada por Vocês a cada PC pelo caminho até o ultimo instante, por isto Eu digo cobrem o dobro faço questão de pagar mas não deixem de organizar os próximo 300 km pelo mesmo trajeto. Quem participou deste vai treinar mais, os novatos vão ser colocados a prova, parabéns de novo, Vocês merecem. Despeço-me aguardando notícias para breve.

Um abraço

Henrique da Silva Wendhausen"

Ao final, o Linguarudinho mostrou que é homem de palavra. Após 19h22m de pedal, concluía o brevet junto do veterano Pedro Burba e da guerreira Greiciely Lopes, ambos de Curitiba/PR, e quem o esperava na linha de chegada, emocionado, era seu parceiro de pedal, Zé Bigode. Randonnée é isso: um mix de dor e emoção que sempre rende um caldo temperado. Agora, após filosofar bonito, vou almoçar. Abraço a todos!!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Vale tudo para brevetar

Após o belo depoimento do Eduardo Diniz, Machado, Souza...etc, etc, etc, nos comentários do post anterior. Não poderia deixar de falar das gambiarras que encontrei em nosso randonnée. A primeira, sem dúvida, é a do Rohling, randonneur rio-fortunense, que pelalou 250km e fez outros quase 60km "a galope". Chegou a retirar as sapatas de freio traseiras para que a adaptação ficasse perfeita, faltou apenas trocar o selim por uma bela sela... A foto ao lado, batida no PC5, não me deixa mentir. A bela Kona do Fábio provou ser uma excelente eguinha pocotó ("pocotó, pocotó, pocotó...", o Fábio ficou no refrão dessa música por 60km). A outra gambiarra foi o surgimento de uma híbrida em Lauro Müller. Acredito que era o "Hernades" lá de Laguna. Seu pneu deve ter rasgado e ele descolou um 2.5 para a dianteira. Pelo menos rodou os últimos 70km da prova com segurança, 1.0 na traseira e 2.5 na dianteira, a bike sair de frente então, nem pensar! Pena que dessa híbrida não tenho foto.



Abraço a todos!!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

BIKE 100 LIMITES no Carvão




Três blumenauenses vieram se desafiar por nossas bandas. O Huskes, o Urban e o Ribeiro. Brevetaram no bom tempo de 17h18m. Fizeram a prova juntos, exceto quando o Urban ensandeceu e encarnou o Pelizzotti no Rio do Rastro, fazendo muitas vítimas ao longo da tortuosa subida, num ritmo alucinado até o PC 4 (aquele do sósia do “Salum” da TVBV). Acredito que tenham gostado de sofrer por aqui e os espero em outros desafios. Quem curte sofrer sempre será bem vindo em nossos randonnées. No final de tudo, gravaram um vídeo bem produzido e com uma trilha sonora “do peru”! Confiram: www.vimeo.com/6496229.




Abraço a todos!!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

No clima do Audax/Randonnée

Primeiro causo: Neste brevet o briefing não teve qualquer pompa (gosto da coisa dessa forma), foi feito em um ginásio pequeno, nos fundos do "ginásio mãe" da Unesc. Bikes, inscritos, familiares, organização, voluntários e curiosos, todos num só lugar. A energia era muito positiva. João Hipólito Garcez, popular João Pedalada, que já correu Audax no Rio Grande do Sul alguns anos atrás, sempre estabelecendo tempos expressivos, chegou ao briefing para interagir com os participantes e na hora foi acometido pela coceirinha. Resultado: acabou largando com os cinquenta e cinco furiosos. Soube que sua família acompanhou de perto a prova, tendo seu filho ficado muito orgulhoso do pai, que extraoficialmente brevetou o 300 do Carvão em 12h17m de prova (fez questão de pedir aos voluntários que registrassem seu tempo nos PCs e assinava embaixo). Randonnée (nada além do que passeio, em Francês) é isso, o estilo livre em sua acepção pura, a democracia do sofrimento.
Segundo causo: O inscrito Ubirajara, popular Bira, não largou, pois tinha convicção de que não completaria. No entanto, como reside em Orleans, aproveitou quando os randonneurs passavam por sua cidade com destino ao PC5 e foi no embalo, após sentir já conhecida coceirinha. Suou a camisa, brincou, interagiu, perturbou, falou, e como falou, curtiu a prova do seu jeito, é um randonneur. Fez questão de pedir aos voluntários que registrassem seu tempo no PC5 e na Chegada, só para entrar no clima...
No randonnée, o importante é chegar em casa com a convicção de que você deu o seu melhor, cada um a sua maneira.
Abraço a todos!!

Voluntários do Carvão



Foi-nos dito pelos inscritos que um dos grandes diferenciais desta prova foram os voluntários. Acredito que o engajamento deles no evento deu-se em razão de todos, atualmente, serem cicloturistas. Durante o briefing, relataram da coceirinha que lhes acometia, queriam pegar uma bike e seguir junto dos cinquenta e cinco corajosos. É a identificação. Quando a tribo está reunida é preciso estar junto. É muito fácil simpatizar com seus iguais. Turma de Urussanga: Maico, cicloturista audaxioso, amador convicto, pois não tem mais idade para ser World Champion de nada; Maurício “Promessa” Viel (estava sempre comigo no Clio branco), 14 anos, promessa urussanguense no ciclismo, está sempre em todas! (aquelas que seus pais deixam...); Fernando “Toxiro” (aquele do cabelo pintado de branco...), figuraça dos PCs 2 e 5, apaixonado pela bicicleta e suas vertentes; Elvis “Carvalho” (o mais cabeludo, que dirigia a Saveiro prata com Metálica no último volume), também dos PCs 2 e 5, estudante de Educação Física, louco por esportes e ocupando a bicicleta um lugar especial em seu coração. Turma de Criciúma: rapazes do PC 4, o temido, Moacir e Everton, ex-ciclistas profissionais, funcionários da loja Bike Point de Criciúma, vivem a bicicleta desde a adolescência; nos PCs1 e 3, Evandro “Bosa”, mecânico número 1 da Bike Point de Criciúma, vive, respira e se suja com óleos e graxas das bicicletas, costuma dar nó em pingo d’água, quadros tortos, aros de alumínio zincado, câmbios indolentes, etc, etc, etc.; por fim, também nos PCs 1, 3, além da premiação na Chegada, Augusto “Maninho” Canabarro “Patrãozinho” de “Business” Freitas, é a personificação da bicicleta na região sul de Santa Catarina, para desespero de sua família, sempre tem um passeio bem organizado agendado (www.bikepointadventure.com.br), coloca até o mais “vadio” pra pedalar, e para os clientes: sempre tem uma Scott na promoção! Lembrando que as mulheres do Bosa e do Maninho também ajudaram nos PCs 1 e 3, lembram de duas “bicudas” por lá?! (vou apanhar por causa disso...)



Abraço a todos!!

Hospitalizados do Carvão

Duas quedas marcaram o brevet. Na primeira, o Fabiano Biatheski, popular Binho, de Criciúma, perdeu o controle de sua bicicleta na descida a São Ludgero, próximo ao PC1, e machucou sua face. Foi atendido no hospital de Orleans e levado para casa pelo Augusto. Foi-me relatado que no retorno para casa o espírito audax ainda imbuía o Binho, que se sentia orgulhoso com seu desempenho, pois havia treinado e se dedicado com afinco nas últimas semanas e com a quantidade de ciclistas que tinha deixado para trás. Tudo o que sei desta queda foi-me relatado por terceiros. Portanto, caso o Binho, que é seguidor deste blog, sinta-se tentado a fazer algum comentário ou consideração a respeito, que não se acanhe. A segunda queda, deu-se na saída do PC4. Luan Roldão Ramos, ciclista de Morro da Fumaça, o mais jovem dos inscritos, perdeu o controle de sua bicicleta e achou um “guard-rail” na Serra do Rio do Rastro. No hospital de Lauro Müller, após dez pontos no peito e dois no braço, respirava aliviado ao saber que o raio-x revelara não ter quebrado nada. No máximo a bicicleta. Mais uma vez, caso o Luan queira manifestar-se através de e-mail ou comentário, pode meter ficha.

Faço votos que a violência das quedas relatadas não esmoreça a vontade do Binho e do Luan. Não é para ter medo, pois quem tem medo deixa de viver; mas também não é para ser louco; pois os loucos morrem cedo; o gostoso é desejar os desafios a que nos propomos e resignar-se ante o inevitável. O que não tem remédio, remediado está. Espero vê-los na série 2010!

Abraço a todos!!

Organizador - uma outra forma de brevetar

Desde 2007, em meu primeiro contato com o Audax, em Lajeado, Rio Grande do Sul, a coisa virou uma cachaça! Agora, setembro de 2009, após o primeiro Audax organizado, entendo porque o Kieling, após visitar minha casa no final de 2008 e dizer que 2009 organizaria seu último Audax, continua com seu belo e informativo blog ativo (www.audaxlajeado.blogspot.com) e já deve estar pensando na série 2010. Organizar é fazer a prova de um jeito diferente. Quando você corre, o foco é no cronômetro/percurso e você faz a sua prova. Na organização, você entra na prova de diversos inscritos e, ao mesmo tempo, deixa um pouco de você por lá. É uma grande troca de energia em que todos ganham. Resumindo, ser voluntário é muito gratificante. Agora entendo porque o Miguel (diretor e anjo da guarda do Brevet Farrapos 1000km de SCS/RS) se dispôs a vir a Criciúma/SC nos auxiliar, caso necessitássemos. Ao longo da semana, pretendo contar um pedaço de cada história que interagi, nos 302KM do brevet.
Abraço a todos!!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Os 40 do Carvão

Os quarenta brevetados: Alexandre Zukoski de Oliveira; Alvize Faquin; André Henrique Chagas; Antonio Geraldo Pizolati Junior; Cláudio Domingos Baesso; Conrado Damiani Mazzuco; Edson Carlos Berreta; Eduardo Diniz Machado de Souza e Silva; Fabiana Kelly Atallah; Fabio Alberto Dipp; Fábio Rohling; Fábio Urban; Fernando Genovez Neto; Fernando Natal; Gilmar Mohr; Gilmar Pedro Capelari; Idalino Bonotto; Greiciely Lopes; Henrique Wendhausen da Silva; Iremar Gava; João Ricardo de Azeredo Borba; Jorge Luis Rovetto; Luciano Galicki; Luiz Carlos Pereira; Maguido de Matos Estano; Marcello Arthur Benedet; Marcelo Mazon; Marcos Ricardo Huskes; Miguel Etges Rodrigues; Milton Carlos Della Giustina; Nivaldo Peroni; Pedro Burba; Rafael Pereira de Castro; Ricardo Augusto Ribeiro; Ricardo Ricken de Oliveira; Rinaldi de Costa; Roberto Hernandes de Souza; Ronaldo Marcial Pasquini; Valmir Francisco Carminati; Vladimir De Marck. Todo o Audax/Randonnée é uma guerra, não importa a distância. O cronômetro regressivo é cruel e implacável. A musculatura é de fibra e cede. Vencer o cronômetro requer fé e tenacidade. Meus sinceros PARABÉNS aos 40 obstinados do carvão!! Que a série 2010 venha quente, pois estes 40 estarão fervendo!!

Release do 300 do Carvão para os jornais da região



Sábado, 5 de setembro, 23h, lua cheia, não chovia e não ventava. Apreensivos e cheios de adrenalina, cinqüenta e cinco ciclistas de dois países e três estados brasileiros largavam da UNESC para o desafio ciclístico de suas vidas: 300 quilômetros do Carvão. Até as 18h22m do dia 06 de setembro, domingo, momento em que os três últimos guerreiros alcançavam novamente a UNESC, numa batalha em que quinze ficaram pelo caminho, sucumbidos pela exaustão, sono, câimbras, fadiga de equipamentos e tombos.



Nem todo o suor; nem toda a dor; nem toda a força; nem todo o ranger de dentes; puderam suplantar a alegria e emoção presentes no semblante dos quarenta que brevetaram o desafio nas vinte “duras” horas de tempo limite. Das quatro mulheres inscritas; das três que tiveram coragem de largar; duas completaram o desafio. Este Audax de 300 KM, dito por muitos brevetados como o mais difícil do Brasil, é prova inequívoca de uma máxima: “Audax não se ganha; se conquista!”.



Promovido por Augusto Canabarro de Freitas, Maico Bez Birolo e Rogério Giron Claumann, o primeiro Audax 300K da história de Santa Catarina teve como apoiadores a bicicletaria Bike Point, de Criciúma; a rede de Supermercados São Pedro, de Urussanga; e a Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC, de Criciúma.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Post final antes do brevet

Durante todo o período de inscrições o "Termo de Responsabilidade e Acordo de Implicação de Risco" esteve disponível para download no site (http://www.audaxcriciuma.com.br/). Este documento é o mais importante para uma organização. Todos aqui farão o possível para que os 67 inscritos possam aproveitar ao máximo seu desafio pessoal. Para tanto, vamos tentar criar um clima de confraternização e solidariedade entre os inscritos e, ao mesmo tempo, uma atmosfera "profissional" para o passeio. Randonnée nunca deixará de ser um passeio, mas inegável que a placa de identificação, os adesivos na bike e capacete, passaporte, bem como o cronômetro regressivo colocam o participante "na pressão" e exigem atitude por parte do inscrito. Queremos que todos venham com o espírito preparado para uma verdadeira batalha. Todos os inscritos são maiores e capazes, portanto, perfeitamente cientes dos riscos que correrão nos 302KM de prova. Sabemos que o sujeito pode morrer dormindo, mas a verdade é que também poderá morrer em um audax/randonnée. Por isso é que todos devem ler bem este documento, que assinarão antes da prova, no momento da entrega dos kits. Tal qual os inscritos, somos todos amadores, com muito orgulho, e estaremos com uma estrutura "mínima", se comparada a padrões profissionais, para atender a todos e oferecer um mínimo de comodidade, sem interferir no princípio da autossuficiência, que rege o randonnée.


Estão prontos pra guerra?! Desejem o desafio e deixem as coisas acontecerem.


Abraço a todos e nos vemos no Cantinho da Massa às 19h!!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Previsão do tempo atualizada e opção de hospedagem

O "mago" Ronaldo Coutinho já se manifestou em seu site acerca do tempo no final de semana para a região sul de Santa Catarina. No que nos interessa, a prova não será fria, nem quente, seca, sem vento, sem sol a pino e sem grandes amplitudes térmicas, ou seja, parece que São Pedro, tal qual o Supermercado que nos apóia, resolveu trabalhar como voluntário.

Quanto aos hotéis, tem essa promoção de final de semana para solteiro no Hotel Centenário a R$ 35,00 (sem café da manhã), localizado na Avenida Centenário n° 3110, Proximo ao Terminal Central de Onibus, Telefone 48 - 3437 4888, Centro, Criciúma/SC. No site (audaxcriciuma), clique em "sobre"; depois em "cidade"; depois em "hotéis" e veja demais opções.

Nos vemos no sábado!!

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Opção de estratégia para o brevet

“A pior velocidade que um ciclista pode chegar é a 0 Km/h (ZERO!) e ele está nessa velocidade quando fica parado no PC. Os randonnées mais experientes param muito pouco nos postos para carimbar seus passaportes. Pare, carimbe, coma alguma coisa, alongue, vá ao banheiro e saia logo, mesmo que devagar. Essa é a regra de ouro.” (Marcelo T. Guazzelli – Audax da Serra/RS).
O 300 do Carvão estará dividido em seis partes. O primeiro trecho será um dos mais difíceis, pois caracterizado por ser longo e montanhoso. O ponto positivo deste trecho é vir logo de entrada, ou seja, todos estarão descansados e alimentados. A dica é não se preocupar muito com o tempo ou média de velocidade neste primeiro trecho, evite afogar, faça-o em seu ritmo, não se afobe, vença a ansiedade, ainda há tempo para tudo. Ganhe tempo no segundo e terceiro trechos, pois são predominantemente planos. As paradas nos PCs1 e 2 devem ser rápidas. Tome a sopa da organização e relaxe um pouco no PC3. Parta determinado para o trecho mais temido da prova. Mais uma vez, não se preocupe com o tempo ou média horária, não esmoreça, apenas chegue. Este será o ponto de maior pressão psicológica da prova, não vá fazer algo de que te arrependas no futuro (desistir). Parada rápida para evitar congelamento no PC4 e curta as descidas, sem afobação, deixe para ganhar tempo a partir de Urussanga, na chegada a SC445. Ganhe tempo no último trecho prova, pois predominantemente plano.

A grande característica deste brevet é seu percurso seletivo. Uma parte dura; duas partes fáceis; uma parte muito dura; outras duas partes fáceis.

Obs.1: dependendo da direção e intensidade do vento, alguma das partes fáceis poderá se tornar média.
Obs.2: As inscrições estão encerradas. Nosso último e 67° inscrito é Luciano Galicki.
Abraço a todos!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Previsão do Tempo

Agora há pouco visitei os sites do Canal do Tempo, Climatempo e Climaterra. Tudo indica que a largada será seca, bem como a madrugada da prova. A mínima para Lauro Müller na madrugada de sábado para domingo será de 5°C e em Bom Jardim da Serra de 2°C. Considerando que o PC4 está entre estas duas cidades, preparem-se. Uma pena que nos 760m de altura do PC4 não costume nevar, pois a condição será muito favórável para o fenômeno. Naquela altura, costuma apenas acontecer uma coisa chamada "garoa de neve", uma espécie de estado intermediário entre a neve e a chuva. Para ilustrar, posto uma foto de uma noite com este fenômeno, a exatos 4°C, exatamente em frente ao PC4. O que conforta é que praticamente todos passarão no local pela manhã, apesar do PC 4 iniciar suas atividades as 6h de domingo. Tudo indica que no domingo pela manhã esquentará um pouco e a tarde, provavelmente choverá.
Abraço a todos!

sábado, 29 de agosto de 2009

Preparativos - 300

Tratemos de alguns assuntos:
1° - Mudança no horário da largada. Agora largaremos às 23h. Motivos: * entrega dos kits, briefing e largada estavam muito próximos e atrasos seriam inevitáveis; * a UNESC é retirada do centro de Criciúma, aonde se encontram os melhores restaurantes; * a noite será tensa e nervosa, nesse estado de espírito, todo mundo sempre esquece ou não faz algo direito, então mais tempo sempre é bem vindo. A programação, no site, já está mudada e inclusos todos os novos horários.
2° - O Restaurante "Cantinho da Massa", no centro de Criciúma (na Avenida Centenário, rua entre as concessionárias de veículos Citroën e Volkswagen, cada qual fica em uma esquina, não tem errada) estará atendendo a partir das 19h, com preços especiais para nós. SÓ QUE O PREÇO ESPECIAL É VÁLIDO APENAS ATÉ AS 20H. O local oferece rodízio de pizzas e buffet de massas e saladas. Para quem fará a prova, melhor impossível. Quem estiver com bikes para fora do carro, sem estresse, a casa oferece amplo estacionamento privativo com segurança. Em razão da entrega de kits se dar, agora, a partir das 20h30m, dá para jantar numa boa e depois seguir para a Unesc.
3° - É sempre bom falar dos equipamentos obrigatórios e sugeridos. Obrigatórios são os "basicões": colete refletivo; iluminação dianteira (LED); iluminação traseira; capacete. Quanto aos sugeridos, algumas considerações: neste ano eu e o Rogério Claumann amaldiçoamos o "Farrapo Faccin" algumas vezes em razão da obrigatoriedade de dois faróis (led) de boa qualidade. A primeira vez que usamos foi no 400 de SCS. Já no PC1 peguei uma tesoura e cortei minha língua e a do Zezo. É realmente muito bom, vale a pena, perderão o receio de andar a noite. Para evitar a compra de um segundo farol, peçam emprestado àquele amigo "bundão" que não teve coragem de se inscrever. Tenho certeza que todos têm um amigo assim. Mais uma de nossas maldições ao Faccin foi quanto a obrigatoriedade de um colete refletivo importado. E mais uma vez a tesoura foi necessária. São mais leves, refletem muito mais e o melhor de tudo: não estragam suas roupas. "Neguinho" vai lá, investe uma fortuna em jaquetas e bermudas e compra um colete de materiais nobres, ao custo de "dez pila". No fim da prova o colete rasgou a bermuda ou danificou a jaqueta. Já cansei de ver esse tipo de "preju". Também, quanto mais "árvore de natal" melhor. Quem puder afixar mais de uma iluminação traseira, estará mais seguro, certamente. Mais uma vez o amigo "bundão" poderá quebrar um bom galho. Por fim, quem aparecer por essas bandas com farol halógeno, cobraremos três kits de pilhas reservas ou quatro faróis na bicicleta, está claro?!
4° - "-Speed ou MTB?!" O pessoal da região fica me perguntando. A resposta é sempre a mesma: "Na longa distância desempenho é diretamente proporcional a conforto." - "Com qual bike você se sente mais confortável?". Por razões de conforto e segurança, na speed as larguras recomendadas aos pneus vão do 23c ao 28c, de preferência ranhurados. Nas MTBs, por razões de desempenho, pneus do 1.0 ao 1.5, também ranhurados. Agora, quem aparecer por aqui sem "Mr. Tuffy", merece uma "camaçada de pau"! Vai ser masoquista assim lá no Farrapos!
5° - Opções para o almoço no domingo (durante o brevet). Apesar da alimentação a ser oferecida aos participantes nos PCs da prova, alguns podem se interessar em almoçar. Pelos cálculos da organização, é perfeitamente viável o almoço entre os municípios de Lauro Müller e Urussanga, a caminho do PC5. As opções que serão apresentadas, estarão todas "na cara" dos participantes, ou seja, todos passarão pela porta desses restaurantes. Pela ordem: em Lauro Müller, perto do KM215 de prova, "Restaurante Chaminé", localizado após um quilômetro da rotatória da cidade, estará na mão de direção dos passantes; no final da subida do morro de saída da cidade de Orleans (última montanha de respeito do percurso, ver matéria sobre as montanhas do 300), lá pelo KM230, "Restaurante Bela Vista", situado na mão contrária de direção aos passantes; já em Urussanga, KM250 de prova, praticamente junto da segunda rotatória da cidade, na mão contrária de direção aos passantes, a opção mais saborosa e muito elogiada pelos ciclistas da região, "Restaurante Piatto D'óro". Lembrando que a menos de 15KM deste último, teremos o PC5 com sobremesa oferecida pela organização (pote de sorvete, ver matéria no blog acerca das parcerias alimentícias do brevet). Todas as opções apresentadas possuem preços acessíveis, boas opções de massas e saladas, além de receberem muito bem ciclistas suados, sujos e cansados.
6° - Em razão do apoio técnico das bicicletarias Bike Point de Criciúma e Giba Cicle de Tubarão, teremos apoio mecânico nos PCs 1,2,3 e 4. Nos PCs com apoio mecânico serão vendidos itens de primeira necessidade em um randonnée, bem como realizados pequenos reparos totalmente "free", além de, para quem necessitar, será disponibilizado óleo "vagabundo" para as transmissões.
7° - Eduardo Diniz Machado de Souza e Silva é nosso mais novo inscrito. Portanto, temos em aberto quatro vagas, todas sem camiseta do evento.
Abraço a todos!

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Treino para o brevet no dia 29/08

No sábado (29/08), às 07h30m, na Bike Point Criciúma, saída para um treino com visita aos PCs 4, 1 e 3. Primeiro todo mundo vai para a Gruta da Serra (PC4), na descida, a turma do almoço se separa da turma da manhã. Pessoal que não pretende almoçar "toca pra casa"; enquanto que a turma do almoço o fazem em Lauro Müller ou Orleans. A tarde tocamos para São Ludgero (PCs 1 e 3) e dependendo "da vôia", para Braço do Norte e retorno para Criciúma. O passeio poderá alcançar 190km.

Obs.: No dia de hoje (25.08.09) há cinco vagas disponíveis para o evento. Fabiana Kelly Atallah, Fabio Alberto Dipp e Pedro Burba confirmaram presença no 300 do Carvão.

Abraço a todos!

domingo, 23 de agosto de 2009

Qualidade das estradas do 300

Ao longo do percurso, uma rodovia municipal será percorrida, bem como quatro rodovias estaduais. Para orientação e conhecimento do "pessoal de fora", vamos a algumas considerações acerca da qualidade dos asfaltos a serem percorridos. Lá no Rio Grande do Sul, há uma máxima dos marketeiros do pedágio: "Rodovia pedagiada, sinônimo de estrada em condições", como bicicleta e pedestre não pagam pedágio... a qualidade do acostamento não segue a da estrada, ou seja, o acessório não segue o principal. Como por aqui não há pedágios, as coisas não são muito diferentes. A única diferença é que as concessionárias de pedágio tapam os buracos mais rapidamente do que os órgãos públicos. No entanto, ambas o fazem com a mesma displicência.

Well, uma forma simples de aferir a qualidade das rodovias percorridas é julgá-las com notas variando de 1 a 10 (esta será uma avaliação estritamente pessoal, acompanhem pela carta de rota). No traço verde, Rodovia Municipal, nota oscilando de 5 a 10. Do primeiro pontilhão até a primeira rotatória, 5; da primeira rotatória até a segunda rotatória, 8; da segunda rotatória até seu final, entre 9 e 10. Na SC446 (traço amarelo), 10, rodovia modelo no Estado. Na SC 438 (traço roxo), trecho entre Orleans a rotatória de Gravatal (a última antes da chegada ao PC2), oscilando entre 9 e 10. Da rotatória de Gravatal até o PC2, oscilando entre 5 e 7. Do PC2 até a rotatória de Gravatal, oscilando entre 7 e 8 (interessante, neste sentido da rodovia o asfalto e acostamento estão melhores). Da rotatória de Gravatal até Orleans, oscilando entre 9 e 10. De Orleans até a rotatória de Lauro Müller, oscilando entre 5 e 7 (retorno também). Da rotatória de Lauro Müller até o PC4, oscilando entre 9 e 10 (retorno também). De volta a SC446, nem preciso mencionar, 10. Na SC445 (traço azul), entre 8 e 10. Na SC443 (traço vermelho), entre 8 e 9.

Assim, salvo trechos muito pequenos, toda a prova será realizada em rodovias com condições muito boas, todas reformadas há poucos anos, tendo a 446 como exemplar. Prova disso foi o florescimento do ciclismo de estrada na região, que até dois ou três anos atrás estava restrito a profissionais, pois ninguém tinha coragem de enfrentar os "homicidas motorizados". Contudo, como o mundo gira repleto de imperfeições, logo a 446 será a mais movimentada da prova. Pontos positivos: na ida passaremos por esta rodovia na entrada da madrugada, de um sábado de feriadão. No domingo será o retorno, só que de um feriadão que só termina na segunda-feira. Portanto, em razão do feriadão, arrisco-me a dizer que não teremos tráfego significativo em quaisquer das rodovias. Um pouco do baixo fluxo de veículos se dá em razão do tamanho dos municípios que o trajeto englobará: Urussanga, Morro da Fumaça, Cocal do Sul, Lauro Müller, Gravatal, São Ludgero e Orleans (todos com menos de 25mil habitantes); Içara e Braço do Norte (ambos com menos de 50mil habitantes); Tubarão (menos de 100mil habitantes); Criciúma (menos de 200mil habitantes). Apesar do baixo número de habitantes, no percurso bons postos 24h estarão funcionando (Orleans, Braço do Norte e Lauro Müller), que não são PCs mas podem "quebrar o galho" de algum randonneur necessitado.

É isso...!! Há qualquer hora mais um boletim de notícias!

Abraço a todos!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Lista de Inscritos (com camiseta)

Lista Final (provável, pois as inscrições continuam abertas para as oito vagas restantes) por ordem alfabética: 1. Alexandre Zukoski de Oliveira . 2. Alexsader Bergmann. 3. Altair José Silveira de Souza. 4. Alvize Faquin. 5. André Henrique Chagas. 6. Andrei Frank Medeiros. 7. Antonio Geraldo Pizolati Junior. 8. Carlos Raul dos Santos Calvete. 9. Cláudio Domingos Baesso. 10. Conrado Damiani Mazzuco. 11. Delmar Hugo Link Dornelles. 12. Djôni Figueredo Müller. 13. Edson Carlos Berreta. 14. Eduardo Domingos Vieira. 15. Evandro Oliveira. 16. Fabiano Biatheski. 17. Fabio Rohling. 18. Fabio Urban. 19. Fernando Genovez Neto. 20. Fernando Natal. 21. Genival Antunes. 22. Gilmar Mohr. 23. Gilmar Pedro Capelari. 24. Greiciely Lopes. 25. Henrique da Silva Wendhansen. 26. Idalino Bonotto. 27. Iremar Gava. 28. Jacques Paulo Senhorinha da Silva. 29. João Ricardo de Azeredo Borba. 30. Jorge Luis Rovetto. 31. José Roberto do Carmo. 32. Juliana Fernandes Zanini. 33. Luan Roldão Ramos. 34. Luciano Gonçalves. 35. Luís Roberto Velho Lazary. 36. Luiz Carlos Pereira. 37. Magnus Formanski Pavei. 38. Maguido de Matos Estano. 39. Marcelo Arthur Benedet. 40. Marcelo Augusto Oliveira de Castro. 41. Marcelo Mazon. 42. Marcos Ricardo Huskes. 43. Miguel Etges Rodrigues. 44. Milton Carlos Della Giustina. 45. Moises Nunes Cardoso. 46. Nivaldo Peroni. 47. Rafael Pereira de Castro. 48. Reginaldo Borges Santos. 49. Renata Bussolo Campos. 50. Renato Marcos Larangeiras. 51. Ricardo Augusto Ribeiro. 52. Ricardo de Carvalho. 53. Ricardo Ricken de Oliveira. 54. Rinaldi de Costa. 55. Roberto Hernandes de Souza. 56. Ronaldo Marcial Pasquini. 57. Sandro Giasse Serafim. 58. Sérgio Lopes. 59. Ubirajara Francisco Machado Pickler. 60. Valmir Francisco Carminati. 61. Vladimir De Marck. 62. Zoanir Cunha.


Obs.1: todos os nomes listados terão direito a camiseta do evento.

Obs.2: caso alguém tenha preenchido o formulário de inscrição, feito o depósito e seu nome não se encontre nesta lista, favor entrar em contato.

Vamos falar um pouco de nossos randonneurs. Eles vêm de dois países e de três estados brasileiros. Os 54 “catarinas” inscritos terão a companhia de quatro gaúchos, três paranaenses e um argentino. São 59 homens e 03 mulheres. Quase 75% do total de inscritos possuem entre 30 e 49 anos, deixando a média de idade da prova superior a 38 anos, portanto, próxima da última Paris-Brest-Paris (44 anos). O participante mais jovem tem 18 anos; enquanto que o mais sábio 62 anos (mais detalhes no relatório ao lado). Duas cidades catarinenses (Criciúma e Florianópolis) agregam mais de um terço dos inscritos no primeiro brevet de 300km da história de Santa Catarina. No entanto, o vírus “influenza audax” já apresenta focos em outros treze municípios catarinenses, provando que há “material humano” no estado, que motive a organização de brevets mais desafiadores. Ao mesmo tempo, percebe-se o quanto o ciclismo de longa distância é incipiente em nosso estado, pois dos onze municípios que a “caravana” visitará, apenas cinco possuem representantes inscritos. Por parte da organização e voluntários, ficam os votos de sucesso a todos os 62 desafiantes do cronômetro regressivo de 20h para a conclusão da prova. Faremos o que estiver ao nosso alcance para que a conquista de cada um seja inesquecível e o mais prazerosa possível. A vontade de caprichar é grande.

Abraço a todos!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Primeiro Brevetado

Quando ele chegou por aqui e viu o certificado caprichado, foi logo dizendo: "Como faço pra conseguir um?!" Então foi-lhe explicado as regras do Brevet e informado que não haveria fiscalização e nem PCs, então ele emendou: "Vou deixar minha marca nos PCs!! Não há como invalidar o Brevet!!". Resultado, em menos de vinte horas Criciúma e Tubarão já haviam decretado "Estado de Emergência". Não tinha como invalidar sua conquista. Brevetou. Após a "lambança" disse a ele que estava sendo egoísta, caso o "Estado de Emergência" persista até o dia 05 de setembro apenas ele estaria brevetado no carvão, ao que me respondeu: "Fica tranquilo quirido!". Explicando-me então que tinha gostado desse negócio de "randonnée" e em breve deixaria a região para explorar o desconhecido, percorrendo distâncias cada vez maiores. Despediu-se mandando um "abraço de urso" a todos!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

CARTA DE ROTA

Ficou pronta a Carta de Rota do evento. A produção foi caseira. Particularmente eu gostei. Enxuta. Para o "pessoal de fora", algumas considerações precisam ser feitas objetivando uma melhor leitura da mesma. Vamos do princípio: odômetros zerados e saída do Ginásio da Unesc (mesmo local em que o "200 do Arroz" partiu em 2008 e 2009); as "firulas" pelo centro de Criciúma, a serem percorridas no início, de forma neutralizada (ou seja, com carro de apoio na frente) não constam na carta de rota para evitar confusões; seguir pela linha verde, R.M. (Rodovia Municipal), até encontrar o primeiro pontilhão (atenção, este brevet possui duzentos metros de estradas de chão batido, cem na ida e cem na volta, em que os primeiros cem metros serão enfrentados neste momento); três rotatórias, seguir em frente, na dúvida procurar placa indicando Urussanga/Cocal do Sul; depois vem uma rotatória com um viaduto em cima, mesmo caso anterior, seguir em frente; após, outras duas rotatórias, ambas seguindo em frente até a rotatória que marcará o ingresso na SC446 (linha amarela), devendo-se dobrar a direita (é mole, se tentar ir reto, o asfalto acaba, ver seta na carta de rota); agora na linha amarela, encontrarão um posto da PRE/SC e uma rotatória em Cocal do Sul, outras três rotatórias em Urussanga, duas rotatórias em Orleans e uma rotatória na descida para São Ludgero, em tudo isso seguir sempre em frente, após esta última rotatória, atentar para o PC1, localizado no lado esquerdo da via (mão contrária), construção amarela, após uma lombada eletrônica; rumo ao PC2, já na SC438 (linha roxa), na primeira rotatória que encontrarem dobrar para a direita, sentido Tubarão (é mole, se tentarem ir reto ingressarão no centro de Braço do Norte, ver seta na carta de rota); neste trajeto, encontrarão a rotatória de Termas de Gravatal e a rotatória de Gravatal, devendo seguir sempre em frente, sentido Tubarão; após, mais um posto da PRE/SC e no final da rodovia, cerca de 50 metros antes do ingresso na BR101, na sua mão de direção, encontrarão o Posto Fratelli (PC2), situado em frente a uma concessionária Mitsubishi; no retorno ao PC3, por ordem: posto PRE/SC, rotatória Gravatal, rotatória Termas de Gravatal (em ambas seguir em frente, sentido Braço do Norte) e rotatória de Braço do Norte em que dever-se-á dobrar para a esquerda (é mole, se forem para a direita, ingressarão no cento de Braço do Norte, ver seta na carta de rota), por fim seguir até o PC que agora estará em sua mão de direção; para o PC4, rotatória de São Ludgero, agora subindo, seguir em frente e na segunda rotatória de Orleans, após uma ponte, dobrar a direita sentido Lauro Müller (ver seta na carta de rota); na chegada a Lauro Müller, momento de maior atenção na prova (será uma cidade em que o Brevet passará pelo centro) na primeira rotatória avistada, dobrar a direita e logo em seguida cruzar uma ponte (não tem errada!), seguir em frente e quando avistado um Posto Ipiranga de esquina (ver triângulo na carta de rota), dobrar a esquerda (ver seta na carta de rota); após passagem pelo distrito de Guatá, encontrarão um terceiro posto da PRE/SC e após o mesmo serão só subidas e curvas em "U" até o PC4, localizado em uma Gruta no meio da serra, com uma cascata nos fundos; no retorno, "não facilitar" na descida, passagem pelo posto da PRE/SC e lá naquele Posto Ipiranga de esquina em Lauro Müller, atentar para pegar a direita no mesmo (ver seta na carta de rota), alcançar a ponte e na rotatória dobrar para a esquerda, sentido Orleans (ver seta na carta de rota); em Orleans, na primeira rotatória encontrada, dobrar a direita (ver seta na carta de rota) e ingressar novamente na SC446 (linha amarela) sentido Urussanga; em Urussanga, na terceira rotatória (aquela do Trilho do Trem, do monumento de boas vindas da cidade) dobrar a esquerda (ver seta na carta de rota) ingressando na SC445 (linha azul); no distrito de Estação Cocal, em sua mão de direção, avistar Posto Bergmann, PC5, antes de cruzar o Trilho do Trem; em Morro da Fumaça, na primeira rotatória (Supermercado Salvan) seguir em frente, na segunda rotatória (Trilho do Trem) seguir em frente; e na terceira rotatória (Posto Petrobrás) dobrar a esquerda (ver seta na carta de rota) e ingressar na SC443 (linha vermelha); na primeira rotatória encontrada nesta rodovia (Posto Anel Viário, bandeira Ipiranga), dobrar a esquerda (ver seta na carta de rota) e ingressar na Rodovia Municipal (linha verde); na municipal, seguir sempre reto nas rotatórias, sentido FORQUILHINHA, atentar para o chão batido no pontilhão final e ingressar na Avenida Universitária, dobrando a DIREITA para chegada no Ginásio da Unesc, cerca de quinhentos metros depois e ao final de 301,2 KM percorridos.

Obs.1: todos receberão a Carta de Rota na entrega dos kits, no dia 05/09. Para um melhor estudo em casa, abra a carta de rota em seu computador e imprima estas informações. Vá lendo as informações e ao mesmo tempo conferindo na carta de rota.


Obs.2: não confundam rotatória com "trevo alemão" e/ou redutor de velocidade.


Obs.3: em breve a Carta de Rota também estará disponível no http://www.audaxcriciuma.com.br/ .


Abraço a todos!!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Brevet Farrapos 1000KM - impressões de um desistente

É uma prova, sobretudo, de auto-afirmação. Tipo aquela campanha comercial da Olympikus, sobre os amadores: "Por quê?! Se não há dinheiro; nem contratos... se não há torcida; nem aplausos...só o silencio... por que então?!" Você larga evitando pensar no final. Mas após tudo o que lhe acontece na prova, lá está o pensamento... no ...000! Exs: "Putz! É só o quatrocentos e já estou assado...!! Como farei para aguentar até o ...000?!" - "Bahh!! É só o quinhentos e já estou com a palmas das mãos inchadas...!! Como farei para aguentar até o ...000?!" - "E agora?! É só o seiscentos e meu parceiro de pedal já está vomitando...!! Como faremos para aguentar até o ...000?!". Gostaria de dedicar minha desistência aos caminhoneiros da BR290, rapaziada simpática e de "responsa"...sempre procurando zelar pela vida dos outros...graças a Deus meu anjo da guarda não me abandonou naqueles momentos...senão teria sido "zelado" a uma valeta na lateral da estrada. Cheguei ao KM647 com ótimo tempo (terceiro da geral), prova controlada, teria quase 36 horas para fazer 370km (no 400km você tem 27h). Porém, o moral estava baixo, além da estranha sensação de que já havia abusado da sorte. Dormida básica de 3h30m e quando da relargada, chuva. Lembrei daqueles caminhoneiros, só que agora seria na chuva e de noite... como diz o Trevisan, "você tem que saber a hora de desistir." Já no dia seguinte, por volta das 11h, encontrei o "Coronel Faccin" com um pequeno pelotão de soldados farrapos (ver foto). Então me flagrei de um dos segredos de uma prova "fora de série", andar em um bom grupo e manter o moral elevado. Já haviam ultrapassado o km800 de prova e o Farrapo Faccin estava eufórico!! Chegou a nos derrubar na estrada! Como eu estive andando em dupla, quando a cabeça de um falha, é um pulo para a do outro falhar também.

domingo, 2 de agosto de 2009

Inscrições - Reta Final

É verdade, errei feio nas previsões... restam quinze vagas a preencher no dia de hoje 02/08. Isso se todo o pessoal que mandou o e-mail inicial efetuar o depósito. No momento há dezenove ciclistas confirmados no evento, são eles:

Valmir Francisco Carminati, Ricardo Ricken de Oliveira, Altair José Silveira de Souza, Roberto Hernandes de Souza, Fabio Rohling, Gilmar Pedro Capelari, Henrique da Silva Wendhausen, Andrei Frank Medeiros, Marcello Arthur Benedet, Iremar Gava, Magnus Formanski Pavei, Ricardo de Carvalho, Marcelo Castro, Fabio Urban, Sérgio Lopes , Greiciely Lopes, Rinaldi de Costa, Delmar Hugo Link Dornelles e Renato Marcos Larangeiras.

Atualização da lista de ciclistas confirmados no evento, que agora somam 35, dia 04/08: Idalino Bonotto, Jorge Luis Rovetto, Fernando Natal, Luciano Gonçalves, Alvize Faquin, Cláudio Domingos Baesso, Marcelo Mazon, Alexandre Zukoski de Oliveira, Fernando Genovez Neto, Ricardo Augusto Ribeiro, Zoanir Cunha, Antonio Geraldo Pizolati Junior, Jose Roberto do Carmo, Maguido de Matos Estano, Moises Nunes Cardoso e Nivaldo Peroni.

Atualização da lista de ciclistas confirmados no evento, que agora somam 44, dia 05/08: João Ricardo de Azeredo Borba, Miguel Etges Rodrigues, Eduardo Domingos Vieira, Luís Roberto Velho Lazary, Juliana Fernandes Zanini, Jacques Paulo Senhorinha da Silva, Luiz Carlos Pereira, Rafael Pereira de Castro, Edson Carlos Berreta.

Atualização da lista de ciclistas confirmados no evento, que agora somam 46, dia 06/08: Marcos Ricardo Huskes e André Henrique Chagas.

Atualização da lista de ciclistas confirmados no evento, que agora somam 52, dia 08/08: Fabiano Biatheski, Carlos Raul dos Santos Calvete, Alexsader Bergmann, Conrado Damiani Mazzuco, Ubirajara Francisco Machado Pickler e Reginaldo Borges Santos.

Atualização da lista de ciclistas confirmados no evento, que agora somam 57, dia 12/08: Vladimir De Marck, Djôni Figueredo Müller, Genival Antunes, Ronaldo Marcial Pasquini e Milton Carlos Della Giustina.
Atualização da lista de ciclistas confirmados no evento, que agora somam 60, dia 18/08: Luan Roldão Ramos, Sandro Giasse Serafim e Evandro Oliveira.
Atualização da lista de ciclistas confirmados no evento, que agora somam 62, dia 20/08: Gilmar Mohr e Renata Bussolo Campos.
Abraço a todos!
Obs.1: Houve um contratempo na feitura das camisetas (é que o fabricante está na Califórnia...), portanto, as inscrições até o dia 20.08 terão direito a camiseta do evento.
Obs.2: Esta lista sofrerá atualizações diárias até o dia 22.08.

terça-feira, 28 de julho de 2009

COMUNICADO - INSCRIÇÕES

Primeiramente gostaria de agradecer os quarenta e cinco formulários preenchidos em cerca de três dias de inscrições (pela internet e no Balcão da Loja Bike Point em Criciúma/SC), são esses “audaxiosos” que nos motivam a organizar brevets com distâncias que ultrapassem o “passeio de domingo” (200km). Isso significa que neste momento há apenas 25 vagas em jogo. No entanto, a partir desta noite (27/07) até a próxima noite de segunda-feira (03/08), não mais responderei e-mails em razão de minha participação no Brevet Farrapos 1000KM em Santa Cruz do Sul/RS. Caso eu chegue vivo, quem recebeu resposta até esta noite, está com sua participação garantida no evento (desde que cumprido o prazo de 48h úteis para o pagamento), quem enviar seu formulário a partir de agora, até o dia 03/08, apenas serão aceitos os próximos vinte e cinco e-mails contendo formulários preenchidos (se levarmos em consideração que as inscrições no Balcão da Loja Bike Point não serão interrompidas, esse número poderá ser muito menor). Os demais irão para a fila de espera. Obrigado pela compreensão.

Obs.: Quem avisa amigo é, falei que era pra sair da moita...

Abraço a todos!!

Maico Bez Birolo
Urussanga/SC.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

SITE NO AR x INSCRIÇÕES ABERTAS

Deu trabalho mas está tudo pronto. O site http://www.audaxcriciuma.com.br/ vai ao ar esta tarde e lá haverá maiores informações acerca das inscrições. A inscrição custará R$ 80,00 (oitenta reais), com direito a camiseta do evento (coisa fina), lanchinho em todos os cinco PCs (conforme já anunciado), medalha "baluda", certificadinho "bala" e uma van cheia de "Thules" para o conforto e comodidade dos degredados desistentes. Estamos estudando a presença de uma "rodomoça"...alguém se opõe?! Importante, a limitação de 70 (setenta) inscritos se mantém, de modo que quem estiver na moita, ou sai logo, ou vai ganhar um pirulito da organização.

Obs.1: Querer aqui não é poder, ou seja, não adianta querer fazer o 300km e não ter concluído qualquer 200km, no Brasil ou no mundo, na série 2009. A inscrição será aceita, pois dinheiro é tudo igual, no entanto, até a entrega dos kits e passaportes no dia 05 de setembro a comprovação será necessária. SENÃO NÃO LARGA.

Obs.2: Gostaria desde já de, publicamente, expressar meu agradecimento e admiração a Cléber Bonotto (webdesigner) e Renato Laranjeiras (GPSníaco) pelo desprendimento no layout do site e nos assuntos quilométricos/altimétricos, respectivamente, realizando um bom trabalho a custo reduzidíssimo (mero desconto no shopping, leia-se loja do Patrãozinho).

Obs.3: Já vou até me explicando... sei que o processo de inscrição não é dos melhores, no entanto o custo dele será bem baixo, mas vai me dar um trabalhão...mas eu gosto!! Tendo bike no meio, justifica qualquer sacrifício!!

Abraço a todos e boas inscrições!!

domingo, 19 de julho de 2009

O Princípio da Autossuficiência e a utilização dos verbetes "tifódi" e "tivira"

Em razão dos parcos recursos que uma organização de Randonnée dispõe e dos inúmeros imprevistos que um randonneur poderá enfrentar em brevets de distâncias mais desafiadoras, a utilização dos verbetes "tifódi" e "tivira" são de grande valia tanto para a organização quanto para o "sadomasonnée". Vejamos dois exemplos de problemas que podem ocorrer durante a prova e a resposta da organização a eles: 1 - Meu pneu furou?! R: Tivira. - Mas não tenho câmara sobressalente ou kit reparos!?! R: Tifódi. 2 - Começou a chover?! R: Tivira. - Mas eu não trouxe capa de chuva?! R: Tifódi.
Mas não só para a organização estes verbetes são importantes, pois se o desafiante interiorizá-los, será mais fácil "digerir" e lidar com os imprevistos de um brevet, mantendo a calma e serenidade em situações que até dado momento parecem insolúveis, além de caprichar na preparação para a prova. Portanto, o verbete "tivira" é inexorável a quaisquer randonneur, basta largar o brevet para se estar sujeito a ele; porém uma boa preparação poderá, quase sempre, livrá-lo do "tifódi". Ser um randonneur é ter atitude enquanto o cronômetro estiver aberto e se puderes vencê-lo, ansiar por uma bela medalha e um "certificadinho" caprichado ao final de tudo. Lembrem-se sempre: 'o que não tem remédio, remediado está'.


Abraço a todos!!

Obs.: nesse post se falou em preparação, vale a visita ao Blog do Trevisan (ver o link nesse blog) para pegar umas dicas de preparação para brevets longos. O Faccin de Esparta também costuma abordar assuntos relacionados a preparação (ver link do Blog de Santa Cruz nesse blog).

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Montanhas no percurso do 300 do Carvão

O Trevisan já havia pedido e também para orientar a todos que vierem "de fora" participar do brevet "300 do Carvão". O assunto são as montanhas do brevet. Acerca do percurso completo, uns dez dias antes do evento farei um post contendo relato detalhado acerca das rotatórias, percurso, inclinações e por aí vai... por ora, apenas informações acerca das subidas da prova. Quando do percurso com o GPS constatou-se que o brevet terá um total de 3.500m em ascenções. Aonde estarão as mais duras?!
Por ordem:
1ª Na saída de Orleans, após a segunda rotatória, faltando cerca de 12km para o PC1, 5,5km de subidas. É um conjunto de subidas com inclinações moderadas, em que qualquer bicicleta "estradeira" com uma relação 34x25 subirá sem dificuldades;
2ª Em Termas do Gravatal, a caminho do PC3, após uma ponte, uma única subida de 1,5km. Mais uma vez, qualquer estradeira com uma relação 34x25 subirá sem dificuldades;
3ª Na saída de São Ludgero, 500m após o PC3, 6,0km de subidas. É um conjunto de subidas em que qualquer "estradeira" com uma relação 34x25 subirá com certa tranqüilidade;
4ª Na saída de Lauro Müller, rumo ao PC4, após um redutor de velocidade, forte subida de 1,5km. Essa é dura, só o pessoal de MTB subirá sem dificuldades (estilo Abranjo ou a chegada em Cambará do Sul pela RS020);
5ª No Guatá, distrito de Lauro Müller, rumo ao PC4, após o Posto da Polícia Rodoviária Estadual, são 8,0 km de subidas até o PC4. O pessoal de estradeira com 34x25 subirá grande parte sem dificuldades;
6ª Rumo ao PC5, na saída de Orleans, logo após a rotatória, cerca de 3,0km de subidas. Mais uma vez, o pessoal de estradeira com 34x25 não encontrará muitas dificuldades em vencê-las.
É isso, são seis trechos com subidas significativas, sendo o resto plano, descendo ou com subidas "normais". Média altimétrica dos Municípios que o brevet visitará: Criciúma (50m); Içara (40m), Cocal do Sul (70m), Urussanga (50m), Orleans (100m), São Ludgero (50m), Braço do Norte (70m), Gravatal (20m), Tubarão (10m), Lauro Müller (200m), Morro da Fumaça (20m). Portanto: Largada e Chegada (40m); PCs 1 e 3 (50m); PC2 (5m); PC4 (760m) e PC5 (20m).
Abraço a todos!