sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Tempos Oficiais de Chegada





Também, vamos curtir o vídeo do João Saboya de Curitiba:



Abraço a todos!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Audaxterra sob a ótica de Lance

Armstrong, como toda grande personalidade, teve sua vida intensamente documentada e algumas de suas declarações demonstram talvez o espírito dos participantes nos extremos de nosso pelotão de 45 que derrotaram o trajeto.

O que Lance diz ao clubinho das (até) 12h: "Déni" Ducioni; "Pedrão" Barbosa; Ivan "Taz" Serafin; "Julinho-Mac" Lapolli e "Mundo" Estevam:
Quanto mais rápido eu pedalar, mais rápido vou descansar.
Aos brigadores das 15 às 17h de prova: "Biquinho" Junior; Leonardo "Choco-horsti"; Auri de "Vereador"; Dorregão Marcelo; Jaisson Alberton; "Paraíba" Siqueira Borges; Alexandre dos Santos e o Marcelo Stimamiglio:
A dor é temporária. Ela pode durar um minuto, uma hora, um dia ou um ano, mas no fim ela irá ceder e um sentimento diferente tomará seu lugar. Mas, se eu desistir, será para sempre.
Por fim, ao "Pedrão Camisa 10", que fez seu primeiro pedal de respeito este ano no "Passeio do Xande", dia 19 de junho e no dia seguinte teve a bicicleta roubada (o ladrão deve estar o procurando até hoje pra devolvê-la...) e depois, com uma zica nova, superou seu mentor (Xande) e trouxe o caneco para casa às 21h54min do dia 23.10.2011:
Tudo é possível. Podem te dizer que você tem 90%, 50% ou 1%, mas você tem que acreditar. E lutar. (...) A todos os céticos sinto muito... sinto muito por vocês não acreditarem em milagres.

Pedrão, aprendemos a lição e agora nós acreditamos, nossos sinceros parabéns!!

Abraço a todos!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Fotografias


No Picasa Web há dois bons links de fotografias. Um do voluntário Cassio "Esponja" Damiani e outro do Marcelo "Viramesa" Castro. Ilustrando esta postagem, fotos dos dois lutadores de jiu-jitsu da vizinha cidade de Lauro Müller/SC.

Links:

Obs.: baixem as fotos do picasa no botão "Download da Foto" e não no botão direito do mouse. Assim elas virão no tamanho original.

Tem também o site www.doatlanticoaopacifico.com da galera de Curitiba, com algumas fotos da prova e um pequeno relato. Não deixem de explorar esse site, pois tem muita coisa boa e engraçada. Incluindo dois bons relatos desses caras que estiveram por aqui (Rafa "Mogi" Menezes e João Saboya) e que meses atrás estiveram na Paris-Brest-Paris 2011 (e que por falta de respeito deste organizador não houve menção no briefing do Audaxterra).
Equipe - Mulambos em Ação

Abraço a todos!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Ressacão

23 de outubro. Uma guerra estava marcada. Descobrimos que seria uma guerra com muitas baixas no test ride do Ciro ainda em agosto, quando este completou o percurso em 11h50min. Chegamos a remover a postagem com seu resultado, pois poderia assustar os inscritos. Havia uma linha tênue entre o esforço verdadeiro e a insanidade que precisávamos encontrar e preservar. Reavaliados os últimos 50 Km de prova e um efêmero equilíbrio fora encontrado.

Semanas antes do evento, enquanto os happy rides eram feitos, fracionando o percurso em três partes, o tom de apreensão envolvia esta frase: " - Quero ver quando juntarmos as três partes no dia 23...!" Brincava na linha de chegada que o evento era audax, mas o pedal randonnée. Afinal, estivemos sempre juntos. No jantar sábado; no café da madrugada; na largada e no happy hour da chegada. Durante a prova, seriam cada qual em seu ritmo e o sol "iluminando" a todos. A organização tentou, de todas as formas, promover essa integração que só as modalidades de longa distância não competitivas proporcionam. Acreditamos ter conseguido criar um ambiente propício para isso. Muitas amizades surgiram, com grandes encontros e reencontros acontecendo, com pessoas separadas, as vezes, por muitos quilômetros mas vibrando na mesma intensidade. Tenho certeza que todos têm pelo menos uma boa história para compartilhar. No final, os 135 galetos com pão e as 60 "pretinhas" promoveram a celebração de que precisávamos.

Em um intervalo superior a 6 horas (!!!) chegaram todos que suportaram o percurso e os 35°C de temperatura (que beleza de sol, não?!). No final, beirando dez da noite e 17h de esforço, chegaram o Smamiglio (possuído) e o Pedrão Camisa 10 (aliviado). Oitenta se inscreveram. Setenta e dois largaram e lutaram. Quarenta e cinco venceram o percurso em sua totalidade. Trinta e seis o fizeram dentro do tempo limite de 15h proposto pela organização. E apenas 15, o fizeram dentro da Lei (13h30min).

Equivalência: foram três subidas da Serra do Rio do Rastro; foram três descidas da serra do rio do rastro em 200 Km na terra. Um verdadeira montanha russa, de altimetria e de emoções: - apreensão na largada; - alívio ao final de uma subida; - tristeza ao ver a próxima subida; - satisfação ao vencer mais uma subida; - resignação ao avistar a próxima subida; - raiva dos organizadores; - desespero nos techos litorâneos de areia fofa; - ódio dos organizadores; - saciedade após o segundo risólis do jóia; - cólera e vingança na subida do rio perso (caixa d'água); - perdão e gratidão na linha de chegada; - (no dia de hoje) desejo, de vivenciar tudo isso de novo.

Levamos todos ao limite e acreditamos ter conseguido. Temos também a certeza de que muita gente encontrou uma força interior, um desejo de seguir em frente que não pensava possuir. Ir até o limite e descobrir o que se pode suportar é uma sensação invariavelmente positiva. Não tenho dúvida de que o Audaxterra (Fodax para os íntimos) será uma dessas coisas boas de lembrar, mas bem depois, pois foi um inferno fazer.

Parabéns a todos pelo comprometimento. Só em largar já precisava de muita coragem.

Abraço a todos!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Estatística

Órfãos

Eles estão carentes e precisam de um dono...

Alguém quer adotar?! Vai pedalar primeiro...!!!


Faltou dizer...

Em postagem anterior entitulada "Conselhos de quem já fez", após a o inspirado comentário do inscrito Marcelo (qual deles?!), lembrei de duas últimas dicas:

8 - Como pude esquecer desta parte tão sensível e sempre tão lembrada... empapuçar-se de "amansa-rabo" (o do tipo chamois) é imprescindível. Não fiz reaplicação durante o test ride, senão teria que portar mais uma bugiganga;

9 - O Marcelo bem lembrou do "EconoMode". Todo o brevet de pequena distância costuma ter surtos de "Síndrome do Cavalo Paraguaio". Doença que tem cura, mas o tratamento costuma levar tempo e demandar muito autoconhecimento e experiência. Os mais novos compõe o "grupo de risco" da doença. Fique atento aos sintomas: - abafamento nos primeiros 70 Km; - afogar no final de qualquer colina; - rodar muito de pratão (coroão); - deixar de se alimentar, mesmo que à força; - deixar de ingerir líquidos, mesmo que empurrado (goela abaixo). É uma doença silenciosa e que não respeita gênero sexual ou faixa etária. Ainda não há registros de tratamento na farmacologia tradicional. Costuma causar a desistência do brevet e provocar imediato repouso. Portanto, fiquem atentos (como diria o Ciro, vamos evitar cabaciçes). Em meu test ride de 13h29min, pelalar no módulo econômico até o PC4 no Km 148, deixou-me com força e moral elevado para encerrar a prova atacando do jeito que podia o trecho misto e final da prova.

Abraço a todos!

Vistoria

Vamos adotar a mesma postura dos "Audaxes" do Carvão já realizados e não faremos vistoria. Cada um sabe de si. Como de hábito, atleta flagrado no percurso sem os equipamentos obrigatórios, está fora.

Abraço a todos!

Pode ser útil...

Caso alguém esteja vindo de carro (ou ônibus) e precise fazer algum reparo de urgência antes da prova, o Augusto Freitas, proprietário da Bike Point, nosso patrocinador, tem sua bicicletaria com o entendido (mecânico) "Bosa" próxima da rodoviária de Criciúma (cerca de 100 m) na Rua Joaquim Nabuco. Telefone para contato: (48) 34393788. Sábado funcionará até o meio-dia. Vai que alguém chega com a gancheira torta...

Abraço a todos!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Falta UM!!!

Temos outros três inscritos. Falta apenas uma vaga. A quem interessar, mande hoje e-mail para ciro@perfettomosaicos.com.br

77 - Ledio Machado Felipe - Imbituba/SC
78 - Jaisson Cesconeto Alberton - Orleans/SC
79 - Ederson Rocha - Urussanga/SC

80 - ???????????????????????

Abraço a todos!

Conselhos de quem já fez

Os dois organizadores (fominhas) já fizeram a prova em igualdade de condições dos desafiantes de 23/10. Seguem alguns conselhos que só o feeling de "dropar" o percurso pode oferecer:

1 - economizem na comida que levarão consigo. Aliás, economizem nas bugigangas, principalmente se elas forem nas costas. Será melhor se você conseguir levar suas coisas na bicicleta. No curso da prova, a dor lombar vai judiar mais do que a dor nas pernas;

2 - Os PCs e PAs são todos bem estruturados. Levem pelo menos R$ 50,00 para despesas. Aproveitem as iguarias encontradas: como o suco Makrovita no PC1; um suco de laranja natural esplêndido no PA do Posto Trevinho (Lanchonete Patricio) em Sangão; o risólis de presunto e queijo no PC4; o caldo de cana no PC5; e as bananas no PA da Padaria Honorato (acreditem, naquele momento da prova, bananas serão consideradas uma iguaria);

3 - Quem vir de hardtail (rabo duro), tente utilizar, pelo menos, um pneu em estado de novo na traseira. Vocês não sabem o que um milímetro a mais de borracha no pneu traseiro pode aliviar de dores nas costas no curso da prova. Até porque ninguém poderá se dar ao luxo de andar com os pneus com baixa "libragem", sob pena de sacrificar seu ritmo de prova. Portanto, compense uma calibragem mais alta com um pneu novo (com mais borracha) na traseira;

4 - As estradas estão bastante poeirentas e não há previsão de chuva significativa até a prova, portanto, leve consigo uma estopa e um pequeno tubo de óleo. Apesar de no PC2 haver apoio mecânico e vocês poderem solicitar um pouco de óleo nas correntes, lembrem que ainda terão pela frente mais de 140 Km de estradas bastante poeirentas e sua corrente poderá precisar de alguma limpeza. Quanto maior o número de marchas; maior a sensibilidade dos câmbios;

5 - O PC2, central, é uma dádiva, aproveite. Poderá estar frio na largada. Caso esteja, é provável que no Belvedere o frio aumente. Não deixe de largar agasalhado. Descarte o agasalho no PC2. Deixe-o em uma sacola com seu nome. As tardes por aqui costumam ser bastante quentes. Não se preocupe, você não passará mais frio a partir do PC2 (o máximo que poderá acontecer é suar frio de desidratação lá pelo PC5...);

6 - Não esqueçam de uma segunda câmara de ar, da máquina digital e do celular (podem mantê-lo desligado, ligando para a organização quando necessário);

7 - Camarão gostoso é o de Laguna/SC e não temos participantes desta cidade. Portanto, não esqueçam do protetor solar. Depois não digam que não avisei...

Abraço a todos!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Programação

Programação Audaxterra do Carvão 2011 - Urussanga/SC

Sábado - 22/10 - Local: Restaurante e Pizzaria do Dadi (margem da SC - 446, ao lado da empresa Ceusa, Estação, Urussanga - 500 m do Hotel Contessi).

- entrega de kits de inscrição a partir das 17h;

- briefing/jantar a partir das 18h.

* o jantar está incluso na inscrição.

Domingo - 23/10

- Café da Manhã: - das 3h40min às 4h30min, café da manhã na Estação do Café (embaixo do Edifício Livorno, frente a empresa Minaplast, Estação, Urussanga - 250 m do Hotel Contessi);

* o café da manhã está incluso na inscrição.

- Largada às 5h em ponto no Posto Shell Possamai (em frente ao Hospital e a CEF, Centro, Urussanga - 200 m do Hotel Contessi).

Obs.1: a organização vai oferecer frutas no café da manhã, bem como nos PCs 2 e 3; além de banana no PA da Padaria Honorato;

Obs.2: o PC2 vai ter caixa térmica com refrigerantes e água com gás;

Obs.3: às 17h, na linha de chegada, vai ocorrer a solenidade de acendimento da churrasqueira e a medida que os participantes forem chegando a família vai aumentando;

Obs.4: estimamos que o vinho e a disposição da organização vá acabar por volta das 22h. Portanto, quem não conseguir completar até às 20h e queira completar "na marra" até às 22h e fazer jus ao trofeu, estaremos esperando;

Obs.5: quem vem de longe, não sabemos a que horas pretendem chegar na cidade, mesmo assim, membros do Urussanga Velo Club (e quem mais da região tencione e possa vir almoçar conosco) estarão no Restaurante e Pizzaria Piatto D'oro (margem da SC - 446, ao lado do Posto Petrobrás Fontanella, Centro, Urussanga - 400 m do Hotel Contessi) no sábado (22/10) a partir das 12h para um almoço de confraternização e troca de experiências.

Abraço a todos!

Recomendações Gerais

1ª - O termo de responsabilidade se encontra neste link. Não é preciso efetuar a impressão do termo de responsabilidade. Exceto no caso do menor de idade, quando seu responsável não possa se fazer presente na retirada dos kits de inscrição;

2ª - O termo de responsabilidade, devidamente preenchido, isenta o inscrito da apresentação de atestado médico;

3ª - Para quem ainda não sabe, quatro itens serão imprescindíveis para largar: iluminação eficiente (pilhas novas) na dianteira e traseira da bicicleta; capacete afivelado na cabeça e colete em refletivo;

4ª - Sobre os equipamentos obrigatórios: o colete refletivo. A organização NÃO o fornecerá aos ciclistas. Todos deverão portar o seu. Comprem, peçam emprestado, troquem... a boa notícia é que o baratinho (policial de trânsito style) é vendido nunca por mais de R$ 20,00. O meio termo é da Curtlo, custa em torno de R$ 70,00, mas vale o investimento. Para quem quer um colete estiloso, com LEDs, que não agride as roupas, existe uma marca americana chamada Nathan, especializada no assunto. O mesmo é comercializado no Brasil. Mas aí já é burguesia; e toda a burguesia tem seu preço;

5ª - A organização fiscalizará a utilização, durante toda a prova, do colete refletivo. As iluminações dianteira e traseira poderão ser desligadas tão logo amanheça, no entanto, o colete refletivo deverá ser usado durante todo o percurso, sob pena de desclassificação. Motivo: de uma forma geral os motoristas desrespeitam os ciclistas. Por ser algo diferente, quando alguém faz uso de capacete e vestuário específico, o respeito aumenta. Por derradeiro, o colete refletivo só fará aumentar o respeito dos motoristas com os participantes no brevet. Obs.: cachorros e terneiros endiabrados não sabem o que é colete refletivo;

6ª - Ainda sobre os equipamentos obrigatórios: a sinalização dianteira e traseira, vulgo farol e pisca, é afixada NA BICICLETA, e não no ciclista. Também, a sinalização traseira deverá obrigatoriamente ser da cor vermelha;

7ª - Está com dificuldades em adquirir farol dianteiro ou "pisca" traseiro?! Seus problemas acabaram. Não poderíamos deixar de falar no "amigo bundão". Todo mundo tem um amigo que sabe tudo sobre bicicleta, costuma sempre comprar de tudo sobre bicicleta, mas quando aparece um desafio é o primeiro a abandonar o barco. Gosta muito mais de ter bicicleta do que andar de bicicleta. Mas tem um espírito fraterno...esse é o cara que vai ajudá-lo! De quebra ainda vai ficar orgulhoso sabendo que um farol seu vai participar do Audaxterra!;

8ª - Ainda, para quem não sabe, na véspera da prova, quando da retirada dos kits, todos receberão um "passaporte", que deverá ser apresentado nos PCs e na Linha de Chegada. Como o passaporte é a prova material da conclusão do evento, cuidem dele. É a história de sua participação na prova, o extravio do mesmo desclassifica o ciclista. Todos receberão um "saco zip"(estanque) junto dos passaportes;

9ª - Ajuda externa não é admitida, exceto nos PCs. A organização não vê com bons olhos "carro de apoio". Portanto, quem quiser ter o acompanhamento de um veículo, o mesmo deverá ficar plantado nos PCs. Longa distância pressupõe autossuficiência. Um carro próximo, além de atrapalhar o psicológico do participante, poderá desclassificá-lo do evento. Quando se está cansado é muito mais fácil fazer bobagem. Desisti de apenas um evento BRM. Arrependo-me até hoje;

10ª - O Audaxterra será realizado sob quaisquer condições climáticas. O clima é parte da preparação mental de um ciclista de longa distância. É preciso sentir-se confortável na bicicleta em todas as condições climáticas. Também, não importa o que aconteça, é preciso seguir em frente. Portanto, não haverá adiamentos. Motivos que poderão inviabilizar a prova: erupção de um vulcão em algum ponto da rota (sendo em local próximo e a defesa civil informar que é seguro a passagem, a prova acontecerá normalmente - cinzas de vulcões chilenos, caso constatada sua ocorrência, serão consideradas uma bênção dos céus e medicinais); dilúvio no estilo "Noé" (daqueles em que só ele e alguns animaizinhos sobrevivem); queda de um meteoro sobre a rota ou em cima de algum PC (caso caia ao lado, a prova transcorrerá normalmente); súbita aparição de algum ser aparentemente indestrutível (Godzilla) - nota: terneiros alucinados e cachorros mal intencionados não contam; em caso de "fim do mundo" a prova será adiada por tempo indeterminado;

11ª - Falando em condição climática, por aqui não chove sensivelmente há cerca de 30 dias. No momento, a previsão para o sábado e domingo é para bundão algum botar defeito;

12ª - Este será um brevet em que o sucesso do participante estará condicionado a observação da regra de ouro. O evento foi desenvolvido para uma média mínima de 13,5 km/h. Qual é a menor velocidade que um participante poderá imprimir na prova?! 0 km/h (zero). Isso sempre ocorre quando se está parado. Portanto, nos PCs, seja objetivo: carimbe seu passaporte; reabasteça; coma alguma coisa; ingira algo diferente de água ou do "veneninho" de suas caramanholas; faça suas necessidades fisiológicas e volte pro trecho. Quem fizer isso, vence;

13ª - A prova contará com carro "vassourinha", também conhecido como o "veículo dos degredados" para efetuar o resgate da galera estragada. Quando você perceber que não consegue ir mais nem para a frente e nem para trás, ligue para a organização nos telefones úteis que todos receberão durante o congresso técnico ou simplesmente aguarde a chegada do carro vassoura que estará no final do pelotão. Por isso é importante todos portarem seus celulares (de preferência o número que cadastraram no formulário de inscrição) durante a prova;

14ª - A organização recomenda a utilização de pneus 2.0 (desempenho e segurança). Haverá estradas de todos os tipos. De areia fofa a "rock gardens". Quem quiser trafegar com pneus mais largos, não há nenhum impedimento. O sofrimento será só seu;

15ª - Ao invés de levarem rosarinhos, pés de coelho, ferraduras, miniaturas de Santos e Nossas Senhoras, levem o Tuffy com vocês. Só ele salva no Audaxterra. Já tem uma certa idade, costuma atender por "Mr. Tuffy". Todo o mecânico conhece. Converse com seu mecânico de confiança. Pode ser adaptado a qualquer medida ou largura de pneus. Um dos itens mais úteis para se evitar dores de cabeça em eventos de longa distância Brasil afora. Só não façam como um participante que vi no 200 de 2010, em que um inscrito apareceu com dois Tuffy's para cada pneu -Tuffy Family- daí o próprio Tuffy furava o pneu do cara;

16ª - É conveniente que todos venham para o evento com um mínimo de conhecimento sobre troca de pneus. Primeiro é importante você ter consigo na prova, pelo menos duas câmaras reservas, duas espátulas para sacar pneus e uma bomba que se adapte ao quadro de sua bicicleta. Qualquer mecânico ou ciclista mais experiente tira este assunto de letra. Por isso, procure seu mecânico de confiança ou um amigo mais experiente e peça uma pequena "aulinha" de troca de pneus. Pratique um pouco e estarás apto a enfrentar algumas intempéries que podem acontecer no curso da prova. Lembro que haverá apoio mecânico somente no PC2;

17ª - Acredito que todas as recomendações foram esgotadas. Esperamos que a prova do dia 23 próximo, transcorra sem problemas e que todos atinjam seus objetivos. Certa vez Paulo de Tarso mandou uma carta aos Coríntios recomendando: "Meus irmãos, sejam firmes e constantes em sua jornada." Este conselho, sintetiza a ideia de ritmo de prova que a organização gostaria de deixar para todos. Às 5h do dia 23 próximo, um bom Audaxterra para todos nós!

Abraço a todos!

Obs.: ainda hoje - publicação da programação do evento.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Tulipas Audaxterra

As tulipas saíram do forno! Trabalho de campo dos organizadores e trabalho de digitaçao e arte final do Cassio Damiani, vulgo Esponja, ciclista indisposto e amigo sempre disposto a ajudar! Será o piloto da van dos degredados no dia 23.10.11. Portanto, tratem ele bem...



Divirtam-se!
Abraço a todos!

Obs.: todos receberão uma cópia frente/verso em folha A4 no kit de inscrição.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Trajeto e estratégia - parte 3

PC 03 - Posto Cidade das Praias - Jaguaruna ---- 110,0 Km.

Possivelmente seja o PC mais estruturado. Marca o final das montanhas na prova. Com nossa nova estimativa de altimetria, cerca de 800m em ascensões vão separá-lo da chegada. Na saída do PC o maior trecho em asfalto contínuo da prova, cerca de 5 Km. Entrada na estrada geral da Praia do Campo Bom e se o vento nordeste estiver batendo... será um aliado. Do Balneário Campo Bom, até o Balneário da Esplanada, a areia fofa será sua maior inimiga. Não haverá uma subida sequer. Na saída do Balneário Esplanada até o PC4, serão 8 Km em uma estrada infernal, o nordeste bate lateral e transforma a estrada em uma enorme costeleta. Não há para onde escapar. O jeito é resignar-se e encarar. Vai ser uma guerra e todos sentirão saudades das montanhas...

PC 04 - Lanchonete do Jóia - Esplanada -------- 148,5 Km.

Nas margens da BR-101 está localizado o PC4, o mais pitoresco. Trabalhando com uma política de vendas mais agressiva que a da rede Mcdonalds, o número 1 do Jóia (risólis de presunto e queijo com coca-cola) vende mais que o número 1 de muita concorrência, mesmo de redes internacionais de fast food com franquias no sul do Estado. É comum ver caminhoneiros comprando 18 risólis de presunto e queijo pois estão saindo para Fortaleza/CE. Com um altar destinado ao Collor, seu ídolo, a quem Jóia diz que deve tudo o que tem (vale a pena ler as reportagens feitas por jornais regionais, enquadradas na parede do bar), o PC marca a entrada no último quarto de prova. Logo na saída, entrada a esquerda após o trilho do trem, em nova estrada de chão e marcando a breve passagem pelo interior do Município de Içara/SC. Após 150 Km, começam os trechos mistos. Até então, ou foi montanha (80 Km); ou foi plano (70 Km). Começam aqueles tipos de subidas que para quem ainda tem perna, poderá emendar uma na outra, pois sempre precedidas de uma descida.

PC 05 - Lanchonete Mariot - Linha Batista----- 166,6 Km.

Os 18 Km que separam o PC 4 do 5, parecem irrisórios, mas lhes garanto, no estado em que chegarão, todos vão querer parar no Mariot, o único PC com caldo de cana da prova. Até o momento, já deverão ter experimentado tudo o que é líquido e estarão enjoados de tudo. Mas um caldo de cana vai cair bem... a seguir os trechos mistos e agradáveis continuam. Todos passarão pelas localidades sul-cocalenses de Linha Cabral, Mina Visconde, Linha Espanhola, Rio Comprudente e 2ª Linha Espanhola.

PA 2 - Padaria Honorato - Cocal do Sul --------- 186,0 Km

Na chegada a região central de Cocal do Sul, nas margens da SC446, PA da Padaria Honorato, com bananas por conta da organização e um monte de guloseimas não encontradas nos outros pontos de parada. Tem um sonho extra G de doce de leite que dá até pra vinte comer. Na saída do PC, continuamos por duas localidades sul-cocalenses, denominadas Linha Braço Cocal e Rio Perso. Após a igreja do Rio Perso, cerca de 9 Km para a chegada, todos voltam a Urussanga, local da chegada e adivinhem quem os espera?! O 4° e derradeiro PPM da prova, subida na Caixa D'água. É o valentão que veio esperá-los na saída. Serão 2 Km abraçados na vovozinha, muito zigue-zague e pura superação. Os últimos 7 Km de prova serão predominantemente descendentes, alívio para quem alcançou este momento na prova e merece esse presente.

Final - Posto Possamai - Urussanga ------- 201,57 km.

É a oportunidade que tenho de extrapolar os limites egoístas daquilo que faço simplesmente porque gosto. Nessas horas, tenho a chance de inspirar outras pessoas e de trocar experiências com gente que tem o mesmo estilo de vida que eu. As provas são uma celebração disso tudo - Anton Krupicka.

Abraço a todos!

sábado, 15 de outubro de 2011

Arquivos GPS

O F. Mazon disponibilizou alguns links para divulgação dos arquivos em GPS, referentes ao percurso. Vamos a eles:

1° - Link de visualização completa do mapa publicado na postagem do dia 26.09.11:

http://www.gpsies.com/map.do?fileId=asnuygexoquajtyf
(permite várias opções de visualização e download para vários formatos de gps);

2° - Link para download do percurso em GPX:

https://docs.google.com/leaf?id=0B0ToVX6PXm5sM2NlYTM4NTUtMmY0Ni00ZjcwLTg2ODMtMDQ2MzY3NzU3Y2U5&hl=pt_BR

3° - Link para download do percurso em KML (visualização no google earth):

https://docs.google.com/leaf?id=0B0ToVX6PXm5sNGNhZGYyYzAtNmI1NC00OTQwLWFlNDEtNDkzNDQ1NTQzM2Fh&hl=pt_BR

Abraço a todos!

Obs.: Até segunda a tabela de tulipas será divulgada. Lembrando que todos a receberão como integrante dos kits de inscrição. Soube com o Ciro que a mesma coube em uma folha tamanho A4.

Uma verdade inconveniente

O percurso foi revisto no GPS e efetivamente sempre esteve correto (meu ciclo é que estava mal aferido). Podem confiar no arquivo divulgado na postagem do dia 26.09.11. Ocorre que revendo detidamente o trajeto demarcado no google earth você encontra linhas em que o GPS estava com o sinal mais fraco e que por isso se encontram paralelamente a via que deve ser percorrida. Efetivamos essas mudanças, consertando a maioria dessas linhas paralelas e percebemos também uma pequena alteração na altimetria da prova. Em alguns pontos o paralelismo era tão imperceptível que não valia o incômodo de consertá-las. No fim, o Ciro sempre esteve certo quando, após seu test ride no percurso desumano, informou que apesar dos 2.785m de ascensões registrados no arquivo de GPS, seu ciclo havia registrado pouco mais de 3.000m. O que nos leva a crer que após a humanização do final da prova, hoje o trajeto alcance os 2.750m (pouco mais de 9.000ft) de ascensos (caso todas as linhas paralelas sejam corrigidas). Mas como dizem por aqui: "o que é um peido pra quem está cagado?!?"

Abraço a todos!

Obs.: em algumas horas (14h30min) estamos saindo do PC4 - Bar e Lanchonete do Jóia, para um último happy ride no percurso. Faremos do PC4 até o final da prova. Quem quiser levantar a bunda da cadeira será bem-vindo.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Listagem Oficial

Confira seu nome. Provavelmente será desta forma que ele será pirografado (de pirógrafo, não de...) no trofeu. Qualquer problema mande um comentário que corrigimos. Vamos aos nomes (por ordem de inscrição):

1 - Valmir Francisco Carminati - Criciuma/SC
2 - Labieno José Cavalcanti - Criciuma/SC
3 - Daniel M. M. Gualberto - São Paulo/SP
4 - Joci Jorge Gugelmin - Bal. Camboriú/SC
5 - Paulo Gonçalves Junior - Urussanga/ SC
6 - Ricardo José Siqueira Borges - Urussanga/SC
7 - Fernando Genovez - Criciuma/SC
8 - Genival Antunes - Criciuma/SC
9 - Fabio Vieira - São Francisco do Sul/SC
10 - Conrado M. Damiani - Urussanga/SC
11 - Júlio César Lapolli - Criciuma/SC
12 - Amilton Martins Junior - Urussanga/SC
13 - Leandro Lazzarotto - Caxias do Sul/RS
14 - Marcelo Castro - Maringa/PR
15 - Fernando Copetti - Urussanga/SC
16 - Anderson Luiz Fistarol - Caxias do Sul/RS
17 - Eduardo Gomes - Tubarão/SC
18 - Gilberto Elias Guarezi - Jaguaruna/SC
19 - Ezequiel Sartor - Urussanga/SC
20 - Alex Ribeiro Mendes - Urussanga/SC
21 - Alexandre dos Santos - Caxias do Sul/RS
22 - Rafael Dias Menezes - São Miguel Paulista/SP
23 - Marcus Valério França - Curitiba/PR
24 - Alexsander Bergmann - Morro da Fumaça/SC
25 - Alvize Faquin - Urussanga/SC
26 - Jonatan Fernandes da Silva - Criciuma/SC
27 - Idalino Bonotto - Urussanga/SC
28 - Jucinei de Lorenzi Cancellier - Urussanga/SC
29 - Jaime Eduardo Meneguel Guarezi - Urussanga/SC
30 - Eduardo Zavarize Meneguel Guarezi - Urussanga/SC
31 - Diego Rosa Nunes - Criciuma/SC
32 - Marcelo Luiz Dorregão - Orleans/SC
33 - Daniel Cizeski Ducioni - Criciuma/SC
34 - Giani Cendron - Videira/SC
35 - Franco Bayer Foresti - Florianópolis/SC
36 - Alexandre Bacher Ramos - Videira/SC
37 - Maicon Bacher Ramos - Videira/SC
38 - Mateus Michelon - Caxias do Sul/RS
39 - Fabiano Biatheski- Criciuma/SC
40 - João Paulo Jankowski Saboia - Curitiba/PR
41 - Cristiano Paulo Tacca - Florianópolis/SC
42 - Pedro Volkmer de Castilho - Florianópolis/SC
43 - Iremar Gava - Criciuma/SC
44 - Vera Tramujas da Costa e Silva Passos - Criciuma/SC
45 - Maria Gorete Rodrigues Selau - Criciuma/SC
46 - Pedro Luiz Marcolino - Morro da Fumaça/SC
47 - Rogério Jacintho - Morro da Fumaça/SC
48 - Marcello Arthur Benedet - Criciuma/SC
49 - Marcelo Stimamiglio - Florianópolis/SC
50 - Glaucio Eduardo Spillere - Criciuma/SC
51 - Marcelo Mazon - Criciuma/SC
52 - Ivan Serafin - Urussanga/SC
53 - Nilson F. da Silva - Caxias do Sul/RS
54 - Alison Bernardi - Jaborá/SC
55 - Pedro Barbosa - Criciúma/SC
56 - Lourival Luiz Saturnino - Criciúma/SC
57 - Marcio Roberto Ribeiro - Florianópolis/SC
58 - Cicero Tirloni - Florianópolis/SC
59 - Edimundo Estevam - Criciúma/SC
60 - Aristides dos Santos Sobrinho - Criciúma/SC
61 - Delmar Hugo Linck Dorneles - Criciúma/SC
62 - Reuel Remalias Rosa - Cambuí/MG
63 - Leonardo Schonhorst - Florianópolis/SC
64 - Paulo Roberto Delfino - Balneário Camboriú/SC
65 - Fernando Natal - Criciuma/SC
66 - Alberto Serafim - Lauro Muller/SC
67 - Valdomiro Tasca - Lauro Muller/SC
68 - Gilson Rogério Kassulke - Joinville/SC
69 - Auri de Bortoli - Caxias do Sul/RS
70 - Leandro Luis Bresciani - Urussanga/SC
71 - Roger Della Giustina - Orleans/SC
72 - Marcelo Bartoszeck - Curitiba/PR
73 - Augustinho Machado - Braço do Norte/SC
74 - Dalcio Bianchini Filho - Braço do Norte/SC
75 - Mario Cesar Guislandi - Criciuma/SC
76 - Vitor de Córdova Machado - Lages/SC

Obs.: temos quatro vagas abertas. Quem pagar até amanhã (18.10), está dentro.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

"CAIXÃO PRO BILLI!!"


Neste feriado, no happy ride realizado pela manhã, todos estavam ansiosos para o encontro com a matilha maldita. Nosso amigo "descadeirado" Saquetti estava junto, curtindo o visual e aproveitando para prestar um apoio, pois estava de carro. Quando descobrimos que o Saquetti tinha uma caixa de rojões, armamos tudo. Éramos pouco mais de 10 ciclistas naquele momento. Exceto o Ciro, que serviria de isca,
todos posicionaram-se em um local alto (camarote VIP) para ver o circo pegar fogo. Começou o show: o Ciro desceu o morro ensandecido provocando os cachorros. Logo vimos o John posicionando-se para derrubá-lo e errando a manobra por frações de segundo. Nick e Billi estavam bem posicionados no alto de um barranco, apoiando e instigando o comparsa. Então aparece o Saquetti surpreendendo os três e jogando pela janela do carro todos os rojões que podia. Foi uma saraivada de tiros. Feita a cobertura, todos passaram sãos e salvos (e a milhão também) pelo local, deixando os vilões escondidos debaixo da casa (QG) de seu dono. Vingamos o Benedet.
Abraço a todos!

REGULAMENTO OFICIAL DO AUDAXTERRA DO CARVÃO 2011

Deu trabalho, mas conforme anunciado, está aí.

Artigo 1 º

O Audaxterra está aberto a qualquer ciclista amador, independentemente, se filiado a algum clube de ciclismo. Qualquer ciclista com idade inferior a 18 anos deve ter autorização dos seus pais ou responsável legal para participar. Qualquer veículo de tração humana é aceitável. A única condição é que o veículo deve ser propulsionado exclusivamente por seu piloto.

Artigo 2 º

Para participar da prova o ciclista deve preencher um formulário de inscrição, assinar um termo de responsabilidade e pagar a taxa de inscrição estabelecida pela organização do evento.

Artigo 3 º

Ao participar da prova, o ciclista aceita e consente com a publicação de seu nome, tempo, piadas e eventual fotografia tirada durante o evento.

Artigo 4 º

Durante o evento, cada ciclista está em um passeio individual. Devendo obedecer ao Código de Trânsito Brasileiro, trafegando primordialmente pela linha de bordo da pista, em sua mão de direção e usando ciclovias, quando existentes no local. Todos devem se comportar de maneira ordeira e pacífica durante todo o percurso. A utilização de rojões e produtos similares (bombinha) é permitida e recomendada apenas no Km 62 do percurso.

Artigo 5°

A utilização do capacete é obrigatória durante todo o percurso. Todos são maiores e capazes, estando os incapazes devidamente autorizados por seus representantes legais, motivo pelo qual a organização não será responsabilizada por quaisquer acidentes que possam ocorrer durante a prova.

Artigo 6 º

Cada ciclista deve ser autossuficiente. Carros de apoio seguindo ciclistas ou apoio externo durante o curso da prova não serão permitidos. Exceto nos PCs. Qualquer violação desta ordem resultará na desclassificação imediata do ciclista envolvido. Esta regra não se aplica aos carros da organização.

Artigo 7 º

No briefing, cada ciclista receberá um cartão de rota e uma folha de tulipas detalhando a rota e a localização dos pontos de controle. Todos os pilotos devem parar em cada ponto de controle para ter seu cartão verificado com o horário do momento de sua passagem pelo local e assinatura do responsável. Se um piloto sair da rota, ele deve voltar ao mesmo ponto do percurso, antes de prosseguir.

Artigo 8 º

Poderão ser estipulados pontos de controle em estabelecimentos com nenhum membro da organização presente. Nesses pontos de controle os pilotos deverão ter seu cartão de rota verificado por um responsável pelo funcionamento do estabelecimento comercial, como um posto de gasolina ou lanchonete. A falta de verificação em algum ponto de controle ou a perda do cartão de rota (independentemente de quão longe no passeio o piloto esteja) resultará em desclassificação. Cada piloto é responsável por verificar se o seu cartão de rota foi devidamente preenchido.

Artigo 9 º

O limite de tempo da prova com emissão de certificado pela organização será de 15h, com média mínima sugerida de 13,5 km/h. Os pontos de controle não terão tempo limite de abertura e fechamento. A organização estará no local da chegada até às 22h, para os que quiserem "a qualquer custo" completar o trajeto. Ninguém será deixado para trás.

Artigo 10

Durante o período noturno de prova, os veículos deverão estar equipados com luzes dianteiras e traseiras afixadas firmemente. Em todos os momentos de escuridão ou ainda sob condições de pouco luz e/ou visibilidade (Ex: névoa, chuva), as luzes dianteira e traseira deverão estar ligadas. Sem luz dianteira e traseira funcionando no momento da largada o ciclista será desclassificado no ato. Não exigiremos pilhas reservas. Colete com material refletivo será exigido na totalidade do percurso, não importando a condição climática. Qualquer dispositivo refletivo além dos mencionados que o ciclista queira portar será incentivado pela organização. Ciclista flagrado sem colete com material refletivo, em qualquer momento do percurso, estará sumariamente desclassificado.

Artigo 11

No momento da chegada, o piloto deve assinar seu cartão de rota e devolvê-lo à organização.

Artigo 12

Este evento não é competitivo, a classificação será divulgada por ordem de numeração e não por ordem de chegada.

Artigo 13

Um trofeu alusivo ao evento será entregue a cada ciclista que completar o percurso. Além do trofeu, os participantes que conseguirem completar o percurso em até quinze horas receberão também um certificado de capacidade, atestando seu mérito.

Artigo 14

As decisões da organização não serão passíveis de recurso. Apenas a organização poderá deliberar acerca de eventuais dúvidas não cobertas por este regulamento.

Urussanga, 13 de outubro de 2011.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

MARCANDO POSIÇÃO

É muito a vontade e com consciência tranquila que gostaria de fixar alguns pontos. Desde a primeira postagem está explícito que o evento não é homologatório. Por dois motivos:
1° - É experimental, ou seja, nunca foi tentado algo parecido no Brasil. A organização não pode garantir o sucesso na marcação da rota. Podemos apenas fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que os objetivos sejam alcançados. Seria uma temeridade homologar "de primeira". Nunca tencionamos correr esse risco;
2° - Existem prazos que são seguidos de forma rigorosa para o lançamento das datas dos eventos oficiais BRM no Brasil. Quando tencionamos organizar o FODAX (hoje Audaxterra) e manifestamos nossa intenção ao representante ACP no Brasil fomos informados que o prazo do lançamento de eventos na série de 2011 já havia expirado. Foi o que precisávamos para lançar nosso evento "piloto". Pois estávamos com disponibilidade de tempo para a data por nós agendada. E isso nos bastava, afinal somos meros voluntários entusiastas.
Vencido isso, vamos adiante. Logo percebemos que FODAX era uma palavra muito ofensiva e fizemos uma consulta prévia ao representante ACP no Brasil informando da escolha de um nome mais interessante. Portanto, além do infame FODAX, surgiram X-audax, X-RDN, X-rand e o óbvio, sonoro, autoexplicativo, além de carregado de significado: AUDAXTERRA. Tivemos a felicidade de levarmos o nome a um bom designer (Jorginho de Cocal do Sul/SC) que, inspirado, trabalhou muito bem as potencialidades da logomarca. Quero deixar claro, sempre foi de nosso interesse compartilhar essa logomarca com todo e qualquer organizador brasileiro que queira organizar uma prova na terra. Nunca tencionamos exclusividade. Sintam-se a vontade. Queremos somar.
A ideia de um 200 Km na terra não é de hoje. Desde meu primeiro brevet em Lajeado (2007), ouço essa proposta. Pois lá havia os 10 Km não pavimentados e isso sempre aguçou a imaginação dos participantes. Normalmente ela esbarrava na falta de tempo dos organizadores, insegurança quanto ao sucesso, problemas de logística não encontrados em uma prova de asfalto e sobretudo: como demarcar o trajeto e não transformar tudo em uma grande confusão. Não estamos inventando nada. Estamos apenas transformando um anseio em realidade.
Se hoje alguém sonha com uma medalha olímpica; é porque algum dia alguém já sonhou com as olimpíadas - David de Rothschild.
Talvez por isso um evento de 200 Km, não homologatório (underground), que não classifica para nada, totalmente "fora de época" (datado no final do calendário oficial), esteja trazendo gente de tão longe. 200 Km para quem é experiente costuma ser uma prova chata por natureza, é como cumprir tabela para os times de futebol (tenho até o hábito de desmerecê-la, jocosamente chamando-a de "Desafio de Domingo"), razão pela qual, em meu entendimento, precisa ser charmosa e/ou oferecer algum apelo/novidade. Por fim, o nome escolhido foi Audax (e não randonnée), simplesmente porque no Brasil, por razões óbvias, Audax (além daquele papo de que remete a pessoa audaciosa e blá, blá, blá...) é uma palavra forte e carregada de significado. Randonnée, perdoem a franqueza, não remete a qualquer significado inteligível em Português. Aliás, esta é uma discussão superada entre organizadores há alguns anos (diferenciação entre Audax e Randonnée). Praticamente todo o blog ou site que trata do assunto já abordou ou pretende abordar esse tema. Nesse blog isso já foi abordado há alguns anos. Mesmo que fosse homologado, esse não seria o primeiro e está longe de ser o último randonnée com nome fantasia de audax a ser realizado no Brasil. Seguindo, porque um X grande?!? Simplesmente porque praticamente tudo o que envolve fora de estrada hoje no mundo traz algum X explícito em seu nome. De quebra, a palavra Audax, por natureza, traz um X em seu nome...isso era de uma conveniência que não podíamos deixar passar. Por fim, será que preciso explicar porque a palavra "terra" foi escolhida?!?
Vencida mais essa etapa, alguns questionamentos pertinentes:
1° - um evento deixa de ser randonnée porque não está no calendário oficial?!? Considerando que "randonnée" é uma palavra que pertence única e exclusivamente a cultura e ao povo francês e não a essa ou aquela organização?! Considerando ainda que randonnée significa primordialmente "longa jornada" - "expedição", gostaria de saber se há aqui algum inscrito que tem dúvida de que no dia 23.10.11 às 5h, em Urussanga/SC, vai ingressar em uma longa jornada?!
2° - um evento deixa de ser randonnée, pois teve ampliado (flexibilizado) seu horário de conclusão?! (no final da tarde e noite do dia 23 próximo quero perguntar a cada um que concluir de forma honrosa a prova, se está se sentindo diminuído porque a organização estendeu o período de conclusão do evento).
3° - um evento deixa de ser brevet porque não está inserido no calendário oficial, ou ainda, porque não classifica para nada em razão de estar inserido no final de um calendário oficial?! (pensando assim, nenhum 300 do Carvão já realizado foi brevet, pois naquelas séries não havia mais 400 datados no Brasil, portanto aquelas provas não classificavam para nada) Considerando que a palavra "brevet" pertence exclusivamente ao povo e cultura francesas e não a essa ou aquela organização?! Considerando ainda que brevet significa primordialmente "patente" e "certificado" em francês, e a organização do Audaxterra entregará um certificado ao final do evento a todos os participantes que o concluírem em até 15h.
Isto posto, vamos adiante. Não sou dono de bicicletaria, tampouco o Ciro Damiani. Não ganho dinheiro com o exercício de atividades físicas, não tenho esse tipo de formação, tampouco o Ciro Damiani. Estamos promovendo este evento porque somos entusiastas do esporte e do life-style randonnée. Com isso, quero dizer que não estamos nos promovendo com o Audax/Randonnée; mas tão somente promovendo o Audax/Randonnée. Estamos de boa-fé; de coração. Agora, já que não vamos ganhar dinheiro, pelo menos queremos o mérito do pioneirismo, não há mal algum nisso e não abriremos mão disso. Mesmo que vá gerar inveja e dor de cotovelo.
Como autocrítica, um grave erro foi cometido. Eximo o Ciro Damiani inteiramente deste erro. O erro foi neste veículo público de comunicação, da qual sou responsável. Fui vadio, assumo, e usei ipsis litteris as regras do BRM traduzidas para o Português e as profanei quando promovi sua flexibilização para esta prova. Como aprendi desde pequeno que deturpar coisas sagradas é pecado, na próxima postagem haverá um regramento próprio do Audaxterra, feito a imagem e semelhança do regramento público e transnacional do LRM. Agora vamos direto na fonte, sem atravessadores.
Dia desses encontrei alguém que conseguiu exprimir em palavras o que queremos compartilhar com quem vem "expedicionar" por aqui dentro de alguns dias: Um evento desafiador...
É a oportunidade que tenho de extrapolar os limites egoístas daquilo que faço simplesmente porque gosto. Nessas horas, tenho a chance de inspirar outras pessoas e de trocar experiências com gente que tem o mesmo estilo de vida que eu. As provas são uma celebração disso tudo - Anton Krupicka.
Foi cansativo, mas certas coisas simplesmente precisam ser ditas.
Finalizando, gostaria de deixar uma moção de apoio ao Roberto Penna Trevisan. Um amigo de verdade. Confiável, leal, íntegro, moderado, respeitoso, equilibrado e conciliador: é a pessoa certa, na posição certa e no momento certo. Obrigado por tudo. Conte sempre conosco.
Você está estressado?! Vá caminhar!! (sugerimos aqui)
Perdão pela extensão.
Abraço a todos!!

Obs.: se antes queríamos caprichar, agora queremos nos superar.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Happy Ride - agende-se!

A organização vai promover dois happy rides no percurso do Audaxterra. O primeiro será amanhã (08/10), com saída às 13h15min do Posto Possamai (Paulão) em Urussanga, simulando o trecho entre os PCs 2 a 4, encerrando no Bar e Lanchonete do Joia, em Jaguaruna. O segundo será no dia 12/10 (quarta-feira), às 7h, com saída do Posto Possamai de Urussanga, simulando o trecho entre a largada até o PC2, situado no mesmo local de largada. Quem puder comparecer, será positivo, pois no dia do evento dependerá menos da marcação do trajeto, podendo tomar as decisões com maior segurança e auxiliando participantes que possam estar pedalando junto (identidade de ritmo) e que não tiveram a oportunidade (possibilidade) de realizar os happy rides.

Abraço a todos!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Uma semana

Dia 10 está aí. Beiramos as 70 inscrições e já é um número que nos agrada. Portanto, você que está indeciso, deixe de ser bundão e venha se aventurar em um evento pioneiro no Brasil. Difícil, mas não impossível. Seja em 15 horas ou no extremo "custe o que custar", estaremos te esperando. Conquiste seu trofeu. Mas aviso, após às 20h o churrasco vai começar a passar do ponto...!

Obs.: há uns vinte anos atrás cheguei para meu pai e perguntei: - Pai, por que existem lojas só de colchões; lojas só de toalhas; lojas só de sofás; mas não existem lojas só de almofadas?! Meu pai respondeu com sabedoria: - Filho, é que almofadinha é o que mais tem por aí. Na hora não entendi. Hoje vejo que foi um grande ensinamento.

Abraço a todos!

Trajeto e estratégia - Parte 2

Largada- Posto Possamai - Urussanga -----; 0 km.

Na saída, trecho de 2 Km neutralizados para dar aquela voltinha tradicional pela praça de Urussanga (cidade pequena é assim, se você não der uma volta pela praça, você não a conheceu). Logo na primeira subida vai começar o randonnée, com cada um no seu ritmo. Esta subida inicial marca também o início do 1° PPM. Será um calvário gostoso, sairemos de 40m ao nível do mar e vamos até 500m em pouco mais de 12 Km, em meio a estradas vicinais e um calçamento "ogro" na localidade de Rio América. Após a localidade de Belvedere, pequena ascensão em que estaremos próximos dos 550m de altitude (ponto mais alto da prova). Mas como tudo o que sobe, desce... muitas descidas até Santa Rosa e Itanema. Trecho misto até Barro Branco e longa descida asfaltada até a cidade de Lauro Müller.

PC 01 - Posto Chaminé - Lauro Muller -------; 32,42 km.

Logo na saída do PC já voltamos para a terra. Trecho gostoso e misto entre as cidades de Lauro Müller, Urussanga e Orleans (parte dele filmado e publicado aqui no blog) até a floresta negra, local do 2° PPM (também filmado e publicado no blog), no Rio Molha, Urussanga. Diferentemente do 1° PPM (longo e cadenciado), a floresta negra é curta e íngreme. Logo depois, passaremos em uma estrada paralela e veremos a localidade de Santana pelo alto, retornando a Urussanga por uma estrada vicinal com o nome de Mina Visconde (Santo Expedito). Uma das grandes descidas da prova, com mais de 5 Km. Mas cuidado, próximo do topo deverão encontrar a "matilha maldita". Não chega a ser formação de quadrilha, pois são três elementos. Billy, o pequeno, costuma agitar seus primos Nick e John. John é ansioso e costuma esperar no meio da estrada. Da última vez que estivemos por lá derrubou um amigo. Atenção. No final da descida, poucos quilômetros vão separá-lo do PC.

PC 02 - Posto Possamai - Urussanga -------; 70,2 km.

Aproveite o PC2. Terá apoio mecânico, além de caixa térmica com água gaseificada e refrigerantes. Aproveite, a partir deste PC serão 27 Km mistos e bastante aprazíveis. Esforce-se para elevar sua média. Em uma prova com muitas montanhas, use a cabeça e deixe para fazer força quando o relevo lhe favoreça. Aproveite o PA do Posto Trevinho em Sangão (no test ride o Ciro passou direto e se arrependeu). Tome um suco de laranja natural que existe no local. Assim você não chegará tão derrubado no PC3 e automaticamente vai ficar menos tempo parado naquele PC (no test ride o Ciro chegou destruído no PC3, ficou mais de 40min parado e ainda assim saiu derrubado do local).

PA - Posto Trevinho - Sangão --------------; 97,13 km.

Exatos 2 Km após o PA e o 3° PPM tem início. Tal qual o 2°PPM, ele é curto e íngreme. Após, uns 5 Km de altiplano entre as cidades de Treze de Maio, Sangão e Jaguaruna (250m do nível do mar, em média). Depois 5 Km de descidas até o PC3, nas margens da BR-101. Local praticamente ao nível do mar (a esta altura, 2000m de ascensões já foram vencidos. Restando pouco mais de 600m em 90 Km de prova. Hora de levantar a média).

PC 03 - Posto Cidade das Praias - Jaguaruna ------; 110,0 km.

Continua na próxima postagem...

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Diabinho brasileiro


No Test Ride feito pelo Ciro ele foi encontrado no 3° PPM (prêmio pessoal de montanha), entre Sangão e Treze de Maio. Dia 23 poderá aparecer em qualquer dos prêmios de montanha, com seu tridente feito de mandioca. A princípio não tem nada em comum com o original (o designer de bicicletas alemão Didi Senft - El Diablo) mas sem dúvida há uma semelhança: ambos não têm lá muito o que fazer!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Trajeto e estratégia - Parte 1

Há pouco menos de um mês para o brevet, chegou o momento de abordarmos o percurso mais detidamente. Primeiro, quero deixar claro que o trajeto teve seus últimos 47 Km repaginados (humanizados) e uma nova fonte no site da Garmin foi gerada pelo amigo e colaborador Mazon F., portanto, desconsiderem o arquivo publicado no dia 05.08.11 e, a quem interessar, salvem o arquivo a seguir:




Análise: em números, a repaginação dos últimos 47 Km de prova, apontou uma diminuição de 172m (de ascensão real). Parece pouco. No entanto, deixar de subir 172m após 150 Km em estradas de chão nas pernas, fará enorme diferença. De acordo com Ciro Damiani (quem realizou o test ride no trajeto antigo), três cadeias de montanhas que baixaram seu moral no final da prova foram excluídas e/ou permutadas por montanhas com menor agressividade e/ou com visual mais motivador. Realmente uma pena o brevet ainda não ser homologado, pois com seus 2.613m (8.623ft) em ascensões, tem tudo para ser uma das provas de 200 Km mais difíceis do mundo. Não haverá repetição de trajeto e o desnível acumulado da prova (subidas e descidas) será maior que a altimetria do pico Mont Blanc. Testaremos em um brevet de 200 Km praticamente todas as qualidades desejadas em um randonneur completo: preparo físico, mental, disciplina, perseverança, orientação e sorte. O brevet ficará devendo na habilidade em pedalar a noite e na supressão do sono, bem como no planejamento que um brevet de ultradistância impõe. Na próxima postagem sobre o trajeto, vamos analisá-lo trecho-a-trecho, com opção de estratégia.

Obs.: costumo dizer que nosso corpo no randonnée é como uma operadora de cartão de crédito. Você larga com um bom limite e se sair gastando em demasia, depois, quando vem a conta, corre o risco de não conseguir fazer nem o pagamento mínimo...

Abraço a todos!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Primeira listagem de inscritos

Encerradas inscrições com camisa do evento. No momento beiramos 60 inscritos. Quatro Estados brasileiros estão representados. Lembro que há ainda vinte dias de inscrições, agora no valor de R$ 90,00 (noventa reais). Vamos aos nomes (por ordem de inscrição):

1 - Valmir Francisco Carminati - Criciuma/SC
2 - Labieno José Cavalcanti - Criciuma/SC
3 - Daniel M. M. Gualberto - São Paulo/SP
4 - Joci Jorge Gugelmin - Bal. Camboriú/SC
5 - Paulo Gonçalves Junior - Urussanga/ SC
6 - Norton Martins - Urussanga/SC
7 - Fernando Genovez - Criciuma/SC
8 - Genival Antunes - Criciuma/SC
9 - Fabio Vieira - São Francisco do Sul/SC
10 - Conrado M. Damiani - Urussanga/SC
11 - Julio César Lapolli - Criciuma/SC
12 - Amilton Martins Junior - Urussanga/SC
13 - Leandro Lazzarotto - Caxias do Sul/RS
14 - Marcelo Castro - Maringa/PR
15 - Fernando Copetti - Urussanga/SC
16 - Anderson Luiz Fistarol - Caxias do Sul/RS
17 - Eduardo Gomes - Tubarão/SC
18 - Gilberto Elias Guarezi - Jaguaruna/SC
19 - Ezequiel Sartor - Urussanga/SC
20 - Alex Ribeiro Mendes - Urussanga/SC
21 - Alexandre dos Santos - Caxias do Sul/RS
22 - Rafael Dias Menezes - São Miguel Paulista/SP
23 - Marcus Valério França - Curitiba/PR
24 - Alexsander Bergmann - Morro da Fumaça/SC
25 - Alvize Faquin - Urussanga/SC
26 - Jonatan Fernandes da Silva - Criciuma/SC
27 - Idalino Bonotto - Urussanga/SC
28 - Jucinei de Lorenzi Cancellier - Urussanga/SC
29 - Jaime Eduardo Meneguel Guarezi - Urussanga/SC
30 - Eduardo Zavarize Meneguel Guarezi - Urussanga/SC
31 - Diego Rosa Nunes - Criciuma/SC
32 - Marcelo Luiz Dorregão - Orleans/SC
33 - Daniel Cizeski Ducioni - Criciuma/SC
34 - Giani Cendron - Videira/SC
35 - Franco Bayer Foresti - Florianópolis/SC
36 - Alexandre Bacher Ramos - Videira/SC
37 - Maicon Bacher Ramos - Videira/SC
38 - Mateus Michelon - Caxias do Sul/RS
39 - Fabiano Biathesk- Criciuma/SC
40 - João Paulo Jankowski Saboia - Curitiba/PR
41 - Cristiano Paulo Tacca - Florianópolis/SC
42 - Pedro Volkmer de Castilho - Florianópolis/SC
43 - Iremar Gava - Criciuma/SC
44 - Vera Tramujas da Costa e Silva Passos - Criciuma/SC
45 - Maria Gorete Rodrigues Selau - Criciuma/SC
46 - Pedro Luiz Marcolino - Morro da Fumaça/SC
47 - Rogério Jacintho - Morro da Fumaça/SC
48 - Marcello Arthur Benedet - Criciuma/SC
49 - Marcelo Stimamiglio - Florianópolis/SC
50 - Glaucio Eduardo Spillere - Criciuma/SC
51 - Marcelo Mazon - Criciuma/SC
52 - Ivan Serafin - Urussanga/SC
53 - Nilson F. da Silva - Caxias do Sul/RS
54 - Alison Bernardi - Jaborá/SC
55 - Pedro Barbosa - Criciuma/SC
56 - Lourival Luiz Saturnino - Criciuma/SC
57 - Marcio Roberto Ribeiro - Florianópolis/SC
58 - Cicero Tirloni - Florianópolis/SC

Essa listagem é promissora.

Abraço a todos!

Obs.1: no dia do evento quem estiver perdendo a fé e achando a empreitada impossível, aproveite o Km 64 de prova, pois passaremos pela capela em homenagem a Santo Expedito (foto 1) ou inspire-se nas dezenas de igrejas das comunidades a serem visitadas durante a prova, como a de Palmeira do Meio (foto 2).

Obs.2: atualizações na listagem de inscritos serão feitas sempre nesta postagem.