segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Brevet Farrapos 1000KM - impressões de um desistente

É uma prova, sobretudo, de auto-afirmação. Tipo aquela campanha comercial da Olympikus, sobre os amadores: "Por quê?! Se não há dinheiro; nem contratos... se não há torcida; nem aplausos...só o silencio... por que então?!" Você larga evitando pensar no final. Mas após tudo o que lhe acontece na prova, lá está o pensamento... no ...000! Exs: "Putz! É só o quatrocentos e já estou assado...!! Como farei para aguentar até o ...000?!" - "Bahh!! É só o quinhentos e já estou com a palmas das mãos inchadas...!! Como farei para aguentar até o ...000?!" - "E agora?! É só o seiscentos e meu parceiro de pedal já está vomitando...!! Como faremos para aguentar até o ...000?!". Gostaria de dedicar minha desistência aos caminhoneiros da BR290, rapaziada simpática e de "responsa"...sempre procurando zelar pela vida dos outros...graças a Deus meu anjo da guarda não me abandonou naqueles momentos...senão teria sido "zelado" a uma valeta na lateral da estrada. Cheguei ao KM647 com ótimo tempo (terceiro da geral), prova controlada, teria quase 36 horas para fazer 370km (no 400km você tem 27h). Porém, o moral estava baixo, além da estranha sensação de que já havia abusado da sorte. Dormida básica de 3h30m e quando da relargada, chuva. Lembrei daqueles caminhoneiros, só que agora seria na chuva e de noite... como diz o Trevisan, "você tem que saber a hora de desistir." Já no dia seguinte, por volta das 11h, encontrei o "Coronel Faccin" com um pequeno pelotão de soldados farrapos (ver foto). Então me flagrei de um dos segredos de uma prova "fora de série", andar em um bom grupo e manter o moral elevado. Já haviam ultrapassado o km800 de prova e o Farrapo Faccin estava eufórico!! Chegou a nos derrubar na estrada! Como eu estive andando em dupla, quando a cabeça de um falha, é um pulo para a do outro falhar também.

3 comentários:

Kieling disse...

Opa! Ninguém desiste de um brevet, a gente só adia a conquista para o próximo. :-)

Eu participei das últmias 24 horas da prova como voluntário e pude ver no semblante dos participantes a surpresa quando eles descobriam que o casal de catarinas (maldade, hem!!) havia abandonado a prova.

Aproveitando que citaste o Trevisan vou aproveitar mais um ensinamento dele. Planejamento e organização: Isso é fundamental para uma empreitada desse tamanho. Quem conhece todo o percurso sabe que a BR290 é um inferno se comparada ao trecho de SCS a Encantado (trecho que vocês conhecem da prova de Lajeado) e ao trecho final até General Câmara. Naquele trecho o maior risco é pegar no sono devido ao fluxo de trânsito inexistente.

Resumindo: o Faccin deixou o filé para o fim e vocês acharam que todo o percurso era osso duro de roer como o trecho da 290.

Um grande abraço para ti e o Rogério e espero ver vocês ano que vem em Lajeado. Se me sobrar um tempo passo em Criciúma no Audax de setembro para dar uma olhada, já que pedalar é um sonho distante nos atribulados dias que tenho passado.

Kieling

Rafael P. de Castro disse...

Kieling e Maico... adiei minha conquista também, mas adiar dói mais que o frio de zero graus que pegamos. Pior ainda é não saber se terá 1000km ano que vem!

Rafael

Luiz M. Faccin disse...

Dupla da Barrigas Verdes!
Vocês não deviam ter abandonado o brevet. Completar o primeiro brevet de 1000 km do Brasil só é possível uma vez. Se eu for para o Audax do Carvão vou derrubar vocês novamente.
Brevet Audax não deve ser um casamento e você deve pedalar com quem estiver mais próximo e bem no momento.
Próximo ano não vou organizar brevets de Randonnée. Algum Audax (UAF) e olhe lá.